edp

O britânico Mo Farah, com o recorde europeu da distância, e a queniana Rose Chelimo, ambos com recordes pessoais, foram os grande vencedores da 25.ª Meia-maratona de Lisboa. Destaque ainda para Sara Moreira, segunda na prova feminina, com o seu melhor registo pessoal.

 

FAÇA UM LIKE NA NOSSA PÁGINA PARA FICAR POR DENTRO DO MUNDO DA CORRIDA. SÓ ASSIM PODEREMOS CRESCER

 

Mo Farah, campeão olímpico e do mundo dos 5.000 e 10.000 metros, era o grande nome da prova e não desiludiu, apesar de ter feito uma prova de recuperação. O atleta, que tinha 60 minutos como melhor resultado, terminou a prova com 59m32, recorde europeu na distância (a anterior marca, de 59m52, estava na posse do espanhol Fabian Roncero desde 01 de abril de 2001). Refira-se que o britânico caiu após cortar a meta depois do seu pé ter ficado preso na faixa da vitória. Recorde-se ainda que o objetivo do corredor, não alcançado, era superar o recorde mundial do eritreu Zersenay Tadese, de 58m23, alcançado na prova lisboeta em 2010. Na segunda posição ficou o queniano Micah Kemboi Kogo, com 59m33, e, na terceira, Stephen Kosgei Kibet, 59m58, três homens abaixo da hora. O melhor português foi Ricardo Ribas (pela primeira vez na sua carreira), com 1h04m23, 14.º da geral. O atleta tem como meta a Maratona de Hamburgo, onde pretende alcançar o tempo para o Mundial de Pequim e os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro.

Na prova feminina, a vencedora foi a queniana Rose Chelimo, com 1h08m22 (o seu anterior melhor tempo era de 1h08m40). Na segunda posição ficou a sportinguista Sara Moreira, que mostrou mais uma vez o bom momento que atravessa. Apesar de estar a preparar a Maratona de Londres, a atleta conseguiu alcançar o seu melhor tempo na distância, com 1h09m18. Atrás da portuguesa ficou a também queniana Prisca Jeptoo, com 1h09m21. Destaque ainda para Dulce Félix, quinta da classificação geral, com 1h10m27.