Considerado um dos melhores fundistas de todos os tempos, o britânico Mo Farah decidiu manifestar publicamente apoio ao também britânico Gary McKee, corredor amador que decidiu correr 110 maratonas em igual número de dias apenas e só por motivos de solidariedade.

Gary McKee, natural de Cumbria, Grã-Bretanha, decidiu assumir este impressionante desafio de correr 110 maratonas em 110 dias como forma de angariar dinheiro para duas organizações de solidariedade do município onde nasceu: o Macmillan Cancer Suport Cumbria e o West Cumbria Hospice.

Numa mensagem de vídeo divulgada sobre McKee, o atleta britânico de pista com mais sucessos nos Jogos Olímpicos da Modernidade dirige-se diretamente a todos para dizer que «é preciso apoiar este grande homem [Gary McKee]».

«Gary McKee está a correr 110 maratonas em 110 dias. É impressionante que ele esteja a correr tantas maratonas apenas para angariar dinheiro para a caridade. Assim, vamos apoiá-lo. E para ti, Gary, os meus parabéns e continua. Todos te apoiamos», afirma Mop Farah num depoimento exibido na sua conta de Twitter.

LEIA TAMBÉM
Des Linden fixa novo recorde do mundo dos 50 km

Mo Farah, que ganhou projeção olímpica nos 5.000 e 10.000 metros, mas também em distâncias mais longas (ganhou a Maratona de Chicago em 2018, por exemplo), além de ter fixado um novo recorde da hora em setembro último, quis assim mostrar o seu apoio a McKee, o qual deu início ao seu desafio já em fevereiro e espera completar a sua 110.ª Maratona no dia 21 de maio.

Embora à partida para o repto a expetativa inicial fosse angariar com a iniciativa 10 mil libras esterlinas, neste momento Gary já amealhou mais de 55 mil.

Gary McKee, à direita, a fazer uma das suas 110 maratonas
Gary McKee, à direita, a fazer uma das suas 110 maratonas

Na sua página de angariação de fundos, Gary McKee escreve que «a Covid-19 teve um impacto em todos nós, mas ainda mais em instituições de caridade. Junte-se a mim, na minha jornada, e ajude-me a arrecadar o máximo de dinheiro e consciencialização possível».

Já em declarações ao Cumbria Crack, o atleta amador recorda que «as pessoas dizem-me que eu sou louco por voltar a fazê-lo, mas a verdade é que, se fosse fácil, não seria um desafio».

Gary McKee já realizou este desafio uma vez, pelo que «já sabia o que me esperava. Vão existir momentos difíceis, pequenas lesões, mas, desde que acreditemos em nós próprios, podemos fazer tudo (…) Quanto mais dinheiro conseguir reunir, mais pessoas poderei ajudar».

Afinal, sentencia, «eu não sou um corredor. Sou um angariador de fundos».