A espanhola Marta Domínguez, duas vezes campeã da Europa (2002 e 2006), segunda classificada nos Mundiais (2001 e 2003) e campeã mundial em 2009 (título uqe acabou por perder), sempre nos 5.000 metros, é hoje vigilante numa estação de comboios após ter sido detida devido a sua ligação ao consumo de doping.

Marta Domínguez era uma lenda em Espanha devido aos seus feitos desportivos, um verdadeiro mito, chegando inclusive a política, já que foi eleita senadora do PP por Palencia, a sua terra natal.

Mas, em 2010, a sua vida deu uma enorme volta após ser detida no âmbito da Operação Galgo, uma investigação da Guarda Civil acerca do consumo de doping no desporto espanhol.

LEIA TAMBÉM
Vencedor da Meia Pirineu parou para ajudar o concorrente e vídeo já é viral

Suspeitas aumentadas em 2013, quando a Federação Internacional de Atletismo abriu um processo contra a espanhola, desta vez por irregularidades no seu passaporte biológico. Em 2015, o Tribunal Arbitral do Desporto reconheceu o doping, retirando-lhe as medalhas conquistadas.  

Embora garanta ainda hoje ser inocente (foi ilibada de acusações de dopagem, administração de receitas sem permissão e delito fiscal) e que jamais consumiu nenhuma substância ilícita, a verdade é que Marta Domínguez nunca regressou aos seus dias de glória, quando foi declarada cidadã honorária de Palencia, por exemplo, com o seu nome a sustentar inclusive uma rua.

As portas fecharam-se e a bicampeã europeia teve de ganhar a vida por outros meios. Como revela o site esdiario, Marta Domínguez tentou ingressar nos quadros da polícia, mas não conseguiu. Depois perdeu o emprego que tinha como monitora de um ginásio devido à pandemia e hoje é segurança de uma estação de comboios em Palencia. Uma triste história de uma atleta que marcou o desporto espahol e mundial, para o bem e para o mal…

FOTO: esdiario