As autoridades quenianas responsáveis pela investigação da morte de Agnes Tirop encontraram uma carta de confissão de Ibrahim Rotich, marido da ex-atleta e principal suspeito do crime.

«Temos fortes evidências para quem foi o autor da morte de Tirop, como o laudo da autópsia, a carta de confissão do suspeito e a descoberta das armas que a mataram, concretamente uma faca e uma clava de madeira», revelou um membro da investigação, Andolo Munga, que adiantou que o marido de Tirop deixou a carta de confissão na sua casa, momentos antes de ser capturado e precisamente na altura em que pretendia fugir para um país vizinho.

Entretanto, a imprensa local revela que a morte de Tirop teve como motivação… o dinheiro. A família da atleta descobriu, por exemplo, que «a maior parte dos bens» de Tirop mudou «misteriosamente de mãos há três meses» e alguns foram «eliminados» pelo seu marido, «o principal suspeito do assassinato. Agora estamos convencidos de que ela foi morta por causa da sua riqueza».