Depois de ter anunciado, no passado dia 18 de fevereiro, a intenção de correr a Maratona em Hamburgo num evento previsto para 11 de abril, Eliud Kipchoge acaba de ver alterados os seus planos devido à decisão da organização da prova de adiá-la para 18 de abril, retirando-a igualmente da cidade alemã.

Organizada pela empresa que também o representa, a NN Running Team, a qual havia pensado num evento realizado de forma condicionada e com não mais do que uma centena de atletas, a decisão de adiar a NN Mission Marathon em Hamburgo para dia 18 tem a ver com a situação que vive a cidade alemã devido à pandemia de COVID-19.

Aliás, o mesmo motivo está na base da decisão agora anunciada de, não apenas adiar a realização da Maratona, mas transferi-la igualmente de cidade.

LEIA TAMBÉM
Eliud Kipchoge regressa às ruas de Hamburgo onde começou na Maratona

Recorde-se que a prova tinha já assegurada a presença de uma centena de atletas de Elite, a maioria com o objetivo assumido de tentar os mínimos olímpicos para poder estar nos Jogos Olímpicos de Tóquio, algo que, no caso dos maratonistas masculinos, implica fazer um tempo abaixo das 2h11m30, ao passo que, para as mulheres, o tempo máximo são 2h29m20.

Quanto a Eliud Kipchoge, recordista mundial da Maratona, apresentar-se-á em Tóquio com o propósito definido de defender o cetro conquistado nos Jogos do Rio, em 2016. A Maratona em Hamburgo apresentava-se assim como uma excelente etapa de preparação, não apenas para apurar a etapa em que o fundista queniano se encontra, mas também o momento de muitos dos seus adversários.

Kipchoge 1h59

Contudo, e apesar do adiamento/transferência desta Maratona que teria lugar em Hamburgo, assim como dos incómodos daí resultantes, Kipchoge não deixou de mostrar a sua compreensão com o sucedido.

«Nos últimos meses aprendemos que devemos ser flexíveis e positivos», comentou o queniano, acrescentando que, «com isto em mente, agradeço a todos os envolvidos, desde a organização, aos patrocinadores e aos meus companheiros corredores por continuarem a trabalhar no duro, com otimismo, tentando encontrar uma boa alternativa para todos os atletas».