Larry Trachtenberg, de 67 anos, vai ser o único finalista da primeira edição da Maratona de Nova Iorque a correr a prova no próximo domingo, que comemora a sua 50.ª edição.

Em 1970, Larry Trachtenberg foi um dos 127 corredores na linha de partida da primeira edição da Maratona de Nova Iorque, realizada em pleno Central Park (só a partir de 1976 a prova percorre dos cinco distritos da cidade). 

Nessa primeira edição, apenas 55 corredores terminaram a corrida, entre eles Larry Trachtenberg, que vai correr a 50.ª edição, sendo o único finalista de 1970 na linha da meta do próximo domingo (de referir que a organização vai homenagear num evento os finalistas na sexta-feira, na abertura oficial da corrida). 

Recorde-se que o primeiro vencedor da Maratona de Nova Iorque foi o bombeiro Gary Muhrcke, que ganhou a corrida com o tempo de 2h31m38 após ter feito plantão no seu quartel (o melhor registo da prova está na posse de Geoffrey Mutai, com 2h05m06, em 2011).

Hoje uma personalidade nos Estados Unidos, Larry Trachtenberg revelou ao The New York Times o que o chamou mais atenção na primeira edição: «Recordo que tínhamos sumos grátis após cruzar a meta. Bebi uns seis sumos.»

Na ocasião, Larry Trachtenberg disputava provas de 2 milhas (cerca de 3,2 km) e portanto teve de ajustar o seu treino para as 26,2 milhas. O norte-americano revelou ao diário que, na fase final, já corria cerca de uma Meia-maratona e acreditava que isso seria mais que suficiente para a Maratona, já que acreditava «que não seria muito complicado dobrar a distância». 

Larry Trachtenberg disse ainda que, no dia da prova, viveu apenas mais um dia normal na sua vida, ele e a sua família. «A minha mãe não se lembrava de eu ter corrido a Maratona ou de ter feito qualquer coisa incomum naquele dia. Não foi algo nada notável como é hoje correr a Maratona.»

LEIA TAMBÉM
Eurosport transmite as maratonas de Barcelona e Nova Iorque no domingo

No final, Larry Trachtenberg alcanlou o 32.º lugar da classificação geral, com o tempo de 3h22m44, embora revele que não tirou nenhuma foto no final, uma prova de que encarou a Maratona como uma simples corrida com mais quilómetros.

«Jamais imaginei que isto seria algo tão grande depois de 50 anos.»

Uma Maratona tão grande que, dos 127 corredores iniciais, já teve cerca de 1.283.000 participantes ao longo dos anos.

O já finalista Larry Trachtenberg confessou ainda que viverá um momento único no domingo na Maratona de Nova Iorque, será algo «extremamente emotivo», algo muito diferente do que viveu em 1970, quando resolveu pagar 1 dólar para se inscrever na primeira edição da Maratona de Nova Iorque…