Quando restam menos de 24 horas para o desafio Phantasm24, Kilian Jornet confessou a sua admiração pelos ultrarunners, mas reconhece que não tem um conhecimento grande pelos grandes nomes do Atletismo.

«Não sou um conhecedor de Atletismo. Estou mais familiarizado com nomes como Svetičič do que com Bikila. No entanto, este ano, tenho lido mais sobre a cultura do Atletismo», escreve Kilian Jornet na sua conta do Instagram, menos de 24 horas do seu desafio: correr 24 Horas numa pista de Atletismo.

Um desafio que tem como objetivo superar o recorde de Yainnis Kouros, a quem Kilian Jornet faz questão de mostrar a sua admiração:

«Quando estamos a falar de longa distância, Yainnis Kouros é o nome a destacar. Este incrível atleta grego dominou a ultradistância dos anos 80 aos anos 2000, superando os recordes mundiais entre 100 e 1000 milhas por diversas várias vezes. Suas marcas nas 24h, de 303,506km, 48h, de 473km, e 6 dias, com 1038km, são surpreendentes. Lendo sobre Kouros fico motivado para tentar correr algumas dessas distâncias. Não consigo nem imaginar o que é estar a correr tanto tempo até hoje. Tenho muito respeito e admiração pelo que esses atletas fazem. Parece incrível que um ser humano consiga correr tão longe!»

Ver esta publicação no Instagram

Uma publicação partilhada por Corredores Anónimos (@corredoresanonimos.pt)

Kilian Jornet, que vai correr na sexta-feira (leia aqui) na pista de Atletismo de  Mandalen, na Noruega, aproveitou o seu post para elogiar a evolução das mulheres na longa distância, destacando um nome em p+articular: Camille Herron.

«É notável como as atletas femininas estão a diminuir a diferença em tão pouco tempo! @runcamille correu 270,116km em 24h. Acredito que, em breve, ela e outros corredores poderão chegar ainda mais perto ou mais longe do que as distâncias de Kouros.»

Humilde como sempre, Kilian Jornet abordou ainda o seu desafio, admitindo que tudo será uma surpresa para ele, já que, em terreno plano, o máximo que correu foi 90 km, precisamente numa pista de Atletismo.

«Para mim é um terreno desconhecido. Se eu dar algumas previsões do que espero correr, estarei a mentir porque realmente não tenho a menor ideia. Nunca corri numa pista e a distância mais longa que treinei foi 90 km. Portanto, vou entrar neste desafio sem qualquer pretensão, procurando encontrar um ritmo confortável. Quando “arrebentar”, procurarei manter a decência. No final, o objetivo é explorar um terreno completamente novo e me esforçar para aprender o máximo que conseguir.»