Jakob Ingebrigtsen

Hoje conhecido da grande maioria dos adeptos do atletismo, o apelido Ingebrigtsen tornou-se conhecido há 20 anos, principalmente através do mais jovem dos irmãos, Jakob. O qual, com apenas 10 anos e a caminho dos 11, corria 90 km por semana em treinos concebidos pelo pai.

A cumprir 20 anos, o hoje em dia fenómeno europeu do Atletismo Jakob Ingebrigtsen soma já 12 medalhas internacionais, como o ouro nos 1500 e 5000 metros dos Europeus de Berlim de 2018, onde se tornou o atleta mais jovem da história a vencer um Europeu.

Ainda com 19 anos, Jakob já fazia as suas melhores marcas pessoais com 3m38s68 nos 1500 metros, 4m50s01 nos 2000 metros e 7m27s05 nos 3000 metros.

LEIA TAMBÉM
Recorde da Europa dos 1.500 m: Jakob Ingebrigtsen explica feito

Recorde-se que, na altura, várias foram as vozes a levantarem-sedizendo que Jakob era muito jovem para fazer estas marcas e que eram prejudiciais para a evolução do norueguês. Isto, ao mesmo tempo que outros defendiam já que o jovem era uma das grandes promessas, capaz de derrubar vários recordes.

Mas a verdade é que Jakob Ingebrigtsen já não é uma promessa, mas uma realidade no Atletismo mundial. Capaz, inclusivamente,  de inscrever o seu nome nas páginas de ouro do desporto mundial.

Recorde-se que, ainda com 16 anos, Jakob Ingebrigtsen converteu-se no atleta mais jovem da história a correr os 1.609 metros da milha em 3h58m07, sinónimo de uma média de 2m27 por km. Marca que lhe permitiu romper a barreira dos quatro minutos, sendo também o primeiro a fazê-lo com 16 anos.

O feito de Jakob é, de resto, resultado da dedicação do seu pai, Gjert, que se apercebeu do potencial que tinham os seus filhos. A começar, desde logo, pelos irmãos mais velhos, Filip e Henrik.

Mesmo sem ter qualquer formação como treinador, Gjert procurou transmitir o seu conhecimento aos descendentes, mantendose, ainda hoje como treinador dos filhos.

Quanto a Jakob, dizem os relatos que começou no Atletismo porque queria acompanhar os irmãos, ser tão bom quanto eles. Assumindo, já em 2016. «Disse a mim mesmo que também queria fazer o mesmo. Sempre treinei nos mesmo sítios que eles, sendo que são já muitos os anos que levamos treinando juntos.»

A verdade é que, até hoje, são já vários os triunfos que Jakob alcançou, convertendo-se num dos maiores atletas da atualidade, capaz inclusivamente de fazer frente aos atletas africanos em pista.