O detentor da melhor marca mundial da Meia-maratona, o queniano Geoffrey Kamworor, foi vítima de atropelamento por uma mota, tendo sido internado com uma fratura na tíbia. Isto, além de várias contusões.

O atropelamento aconteceu em Eldoret, no Quénia, numa altura em que Kamworor se encontrava a treinar.

O  vencedor da última edição da Maratona de Nova Iorque terá sido atingido por trás por uma mota que seguia a alta velocidade, poucas horas depois de ser anunciado o cancelamento das maratonas de Nova Iorque e Berlim.

LEIA TAMBÉM
Tive um teste positivo ao Covid-19: posso voltar a correr?

Aliás, Kamworor, de 28 anos, tinha previsto voltar este ano à Maratona de Nova Iorque com o objetivo de defender o título conquistado em 2019.

Ainda sobre o acidente, o próprio Kamworor explicou, em declarações ao Nation Sport, que «estava a cerca de um quilómetro de distância da minha casa, numa altura em que cumpria a minha corrida matinal, quando uma motocicleta, que vinha a alta velocidade, atingiu-me por trás, levando-me a cair e deixando-me agarrado à perna. Na altura, fiquei com dores também na cabeça, mas foi o próprio motociclista que me ajudou a levantar e me levou ao hospital, onde fui internado».

Ainda segundo as últimas informações, o fundista queniano foi já operado às lesões de que padecia, restando agora saber qual será não apenas o tempo de recuperação, mas também se ficará quaisquer sequelas.

Geoffrey Kamworor é um corredor de fundo que compete na Maratona, Meia-maratona e Crosse, tendo sido campeão do mundo de juniores em 2011. Depois disso, o queniano venceu, por três vezes (2014, 2015 e 2016), o título de campeão do mundo da Meia-Maratona.

O fundista tem como melhor marca pessoal as seguintes marcas:

  • 5.000 metros: 12m59s98
  • 10.000 metros: 26m52s65
  • Meia-maratona: 58m01 (recorde do mundo)
  • Maratona: 2h06m12