A notícia causou apreensão em todo o mundo: a Garmin terá sido alvo de um ataque em grande escala de hackers, utilizando um vírus conhecido como ransonware. E que vem colocar em perigo os dados de milhões de utilizadores da aplicação Garmin Connect.

A notícia foi avançada pela revista BleepingComputador, explicando que o vírus ransonware é um software malicioso que permite ao hacker bloquear remotamente qualquer dispositivo e encriptar todos os dados armazenados, retirando ao proprietário qualquer acesso. O qual passa a ser confrontado com uma mensagem de resgate.

De resto, e ainda segundo a revista, que cita um funcionário da Garmin, o pedido de resgate terá chegado na forma de 10 milhões de dólares, enviado por um hacker que se autodenomina WastedLocker.

LEIA TAMBÉM
Filipe Conceição: «Os quatro anos na PT281+ me preencheram bastante»

Este hacker pertence a um conhecido grupo de hackers com sede na Rússia, autointitulado Evil Corp, amplamente conhecido por ter estado na origem de alguns dos malwares mais famosos e utilizar um software de resgate próprio, como é o caso do famoso BitPaymer.

O ransomware agora utilizado contra a Garmin já terá afetado várias outras companhias e marcas, sequestrando todos os dados guardados no sistema para, em seguida, encriptá-los, passando a enviar, a partir daí, uma mensagem de resgate sempre que o utilizador tenta aceder aos mesmos.

De acordo com a publicação MalwareBytes LABS, este ransomware é «extremamente agressivo», já que não se limita apenas a encriptar os dados nos equipamentos, como procura dados pessoais, bases de dados, servidores de arquivo e, inclusivamente, informações na cloud, motivo pelo qual é especialmente vocacionado para ataques a empresas.

Quanto à Garmin, resta agora saber qual será a resposta da empresa: se paga ou se, pelo contrário, consegue contrariar informaticamente o ataque