Com a Espanha a manter-se como um dos países europeus mais fustigados pela pandemia da COVID-19, o governo espanhol determinou, entre outras medidas, a obrigatoriedade de utilização de máscara nos espaços exteriores. As multas, no valor de até 100 euros, já começaram a ser aplicadas, inclusive em corredores.

A notícia surge nas páginas do espanhol Diário Sur, o qual cita como exemplo Melilla, enclave espanhol situado no Norte de África, local onde o Comando Superior de Polícia deu já ordens aos seus agentes para que começassem a aplicar multas a todos os corredores sem máscara que estejam a fazer exercício em zonas da cidade onde existam mais cidadãos a passear, como o Passeio Marítimo,.

LEIA TAMBÉM
Atleta participa de máscara nos campeonatos nacionais de Espanha

«Segundo informou um porta-voz do Comando de Polícia, a nova ordem sobre as medidas preventivas a aplicar na cidade de Melilla, como consequência da evolução da situação epidemiológica derivada da COVID-19, […] estabelece, entre outras obrigações, que os corredores que desejem correr em vias de alta densidade populacional estão obrigados a utilizar, de forma correta, máscara de proteção».

Com esta medida, as autoridades pretendem contribuir para os esforços de diminuição da transmissão do coronavírus por via aérea, através das gotículas que permanecem em suspensão, expelidas durante a respiração ao correr.

De resto, e segundo avança a mesma publicação, as medidas de contenção «já estão a ser cumpridas, nomeadamente a obrigatoriedade de utilização permanente de máscara por todos os maiores de 6 anos; de manter a distância de segurança; a limitação a 10 pessoas em qualquer atividade na via pública, em espaços públicos e privados; a limitação da capacidade hoteleira para 80%; assim como a proibição de consumo de bar».

Com a instauração da obrigatoriedade de utilização de máscara de proteção em espaços públicos, decretada pelo governo central de Espanha, medida cuja aplicação tem, no entanto, de ser ratificada pelos governos autonómicos, resta agora aguardar para saber que outras regiões do país enveredarão pelo mesmo caminho punitivo, nomeadamente no que diz respeito aos corredores que realizam a sua atividade no espaço exterior público onde também circulam outros transeuntes. Sendo que, pelo menos para já, o horizonte não se afigura fácil para os atletas…