George Black Escócia

Talvez desconhecido até aqui, George Black acaba de tornar-se no octogenário mais rápido do planeta. E, tudo, porque, apesar dos 80 anos, este escocês conseguiu fazer as quatro milhas, em não mais que 30 minutos e 10 segundos, estabelecendo um novo recorde do mundo!

A correr no primeiro dia de 2020, numa prova quatro milhas ou 6,436 km, em Portobello, Escócia, George Black conseguiu a proeza de concluir a distância, realizando uma média por quilómetro de apenas 4m41.

Também graças a esta passada, o escocês não demorou mais do que 30m10 a cumprir os quase 6,5 quilómetros, subtraindo ao anterior recorde da distância, para atletas da sua idade, nada menos que sete minutos!

Nem uma queda o parou!

Membro do Fife Athletic Club, George Black admitiu, no final da prova em que fixou este novo recorde do mundo, que, apesar do resultado final, “foram 18 minutos de desconforto, oito minutos de dor e quatro minutos de agonia“.

Apesar dos 80 anos que já conta, George Black está inscrito no Fife Athletic Club, pelo qual corre
Apesar dos 80 anos que já conta, George Black está inscrito no Fife Athletic Club, pelo qual corre

A ajudar a explicar estas sensações, surge uma queda sofrida por George, num prova de trail, em Agosto passado, na sequência da qual acabou partindo o braço. “É bom estar quebrar recordes ao invés de ossos”, brincou.

O último de vários recordes

Embora tendo começado a correr já tarde, mais concretamente, com a idade de 42 anos, a verdade é que esta não é a primeira marca digna de registo obtida pelo octogenário escocês.

LEIA TAMBÉM
Aos 80 anos terminou o Mundial de Triatlo após 17h17

Apenas alguns dias antes de fixar um novo recorde do mundo das quatro milhas para atletas com 80 anos ou mais, o escocês havia conseguido completar a corrida St. Andrews Cragtoun 5km Parkrun, em apenas 24m34 – a melhor marca alguma vez feita por um atleta britânico desta idade, nesta prova.

Ainda disso, George Black já havia alcançado alguns recordes na pista, nas categorias de 55 e 75 anos, assim como uma série de excelentes resultados nos Europeus de Duatlo da sua categoria – foi campeão em 2007 e segundo classificado em 2010 e 2019.

Corrida como forma de convívio

No entanto e apesar dos resultados já obtidos, George Black assegura que corre, não para conquistar títulos e recordes, mas pelo convívio e amizades que a corrida lhe proporciona. Especialmente, depois de, há oito anos atrás, ter ficado sem a mulher, que morreu.

LEIA TAMBÉM
Morreu Orville Rogers, detentor de recordes do mundo no escalão 100 ou mais anos

George treina todos os dias, sempre às oito da manhã. Ainda que, nos últimos anos, tenha decidido reduzir os 250 km com que terminava todas as semanas, para apenas entre 50 e 80 quilómetros.

Entretanto, já tem novo desafio: quer correr as 20 milhas (32 km) de East Hull, em março. Pois, conforme o próprio também faz questão de salientar, “precisas sempre de algo que te faça levantar da cama”.