A história do cowboy Joe Whelan é uma dessas histórias dignas de um argumento de filme de Hollywood, algo que poderá acontecer se o norte-americano alcançar a qualificação para a Maratona dos Jogos Olímpicos de Tóquio, no próximo ano.

O triunfo na Maratona de Austin é uma das cinco Maratonas que Whelan já correu desde que regressou à competição – isto não contando com aquelas em que marcou presença apenas com o intuito de treinar…  

O cowboy maratonista tem realizado um percurso sempre em crescendo que culminou, em junho último, com a qualificação para os sempre complicados Trials de apuramento para a Maratona dos Jogos Olímpicos de Tóquio, no Japão, uma qualificação alcançada na edição deste ano da Grandma’s Marathon.

LEIA TAMBÉM
Eurosport transmite Maratona de Amesterdão no domingo

De referir que Joe Whelan terminou a prova realizada em Duluth, no Minnesota, Estados Unidos, no quarto lugar da classificação geral masculina, com o tempo de 2h13m39s.

Marca que, diga-se, é ainda mais surpreendente devido ao facto de, apenas uns dias antes, Joe se ter lesionado numa anca, tendo a sua participação na Grandma’s Marathon estado em dúvida…

«Consegui qualificar-me para as eliminatórias trabalhando a tempo inteiro. A partir de agora, vou dedicar-me só à corrida e ver onde posso chegar. Quero ter tempo para treinar, até porque posso nunca mais vir a ter uma oportunidade como esta»

O início de uma nova etapa para o cowboy Joe Whelan

Já a pensar nesta nova fase da sua carreira como maratonista, Whelan regressou, entretanto, àquele que sempre foi o seu bairro, Rochester, em Nova Iorque. Onde não só a sua noiva já encontrou trabalho, como o próprio maratonista procura, para já, conjugar os treinos com um trabalho em part-time, concretamente a pintar casas.

Ao mesmo tempo, Joe prepara a sua participação na Maratona de Nova Iorque, prova emblemática em que deverão marca presença alguns dos principais maratonistas norte-americanos. O seu treinador, John Aris, acredita que Whelan conseguirá correr a distância em 2h11, o tempo que o nova-iorquino esperava ter feito em Duluth, não fossa a lesão…

LEIA TAMBÉM
Vencer Berlim com dedicação, sofrimento… e a ajuda da Inês

Certo, de resto, é que Nova Iorque será a sua última prova antes das eliminatórias de apuramento para Tóquio. Motivo pelo qual Joe Whelan já avisou:

«Se tiver a oportunidade de ficar entre os três primeiros, podem ter a certeza de que vou lutar por ela!»

Os adversários que se preparem!…