tedesca

A alemã Sigrid Eichner, de 74 anos (29 de setembro de 1940), é uma das pessoas que tem o seu nome no Guinness World Records, com a impressionante marca de 1850 maratonas e ultra-maratonas nos pés (com 174 vitórias no curriculum) terminadas. No domingo esteve na Maratona de Roma, que contou com 19 061 maratonistas (terminaram 11 516 atletas, 9257 homens e 2 259 mulheres), sendo 10 824 italianos (6 627) e 8 237 (4 889) de 122 países, além de 86 atletas com deficiência.

 

FAÇA UM LIKE NA NOSSA PÁGINA PARA FICAR POR DENTRO DO MUNDO DA CORRIDA. SÓ ASSIM PODEREMOS CRESCER

 

Uma existência dedicada a corrida. Esta poderia ser a frase da vida de Eichner, natural de Dresden e que vive atualmente em Berlim, onde ainda trabalha para financiar as suas corridas. No total, são anos e milhares e milhares de quilómetros nas pernas, com a impressionante marca de 1880 provas terminadas, um recorde que merece o certificado do «Guinness World Records», que comprova deste modo a sua marca.

Na Alemanha, Eichner é muito respeitada, já que venceu na vida precisamente devido a sua tenacidade no desporto, que acabou por lhe “oferecer” bolsas de estudo para alcançar os seus feitos académicos (foi criada pela mãe, juntamente com três irmãos, já que o pai morreu durante a II Guerra Mundial).

Na sua casa é possível ver as medalhas que ganhou ao longo dos anos, algumas das quais de provas que não estão registadas, já que ocorreram na Alemanha Oriental. Segundo a ainda atleta, se essas fossem contabilizadas, os seus números chegariam a 2 500 provas, a 100 mil quilómetros nas pernas…..

tedesca1Eichner já correu em mais de 40 países e em algumas das provas mais difíceis do Mundo, como a Grand Union Race (44 horas entre Birmingham e Londres, 233 quilómetros sem assistência), a Trans Gaule por seis vezes (1 150 km em 18 dias, em França), Diagonale dei Folli (143 km, nas Ilhas Reunião), a Badwater (217 km, nos Estados Unidos), Baltic Run (320 km em cinco dias, na Hungria), Deutschlandlauf (1 250 quilómetros em 17 dias, na Alemanha), etc.

Em Roma, Eichner terminou a prova com o tempo de 6h03m01.

 

«Corri com muitas dores, mas estou feliz por ter terminado. Foi uma experiência extraordinária. Em setembro, quando comemorar 75 anos, pretendo chegar a 1 940 maratonas, como o ano do meu nascimento.»

Leia também:
Na Maratona de Roma pelo cancro da mama