Issa Run Crew

Numa altura em que a questão racial abala os Estados Unidos, também o Mundo da Corrida decidiu tomar parte, dando as mãos ao movimento Black Lives Matter. Em Filadélfia, no Dia Mundial da Corrida, ao invés de correrem, os corredores preferiram ajoelhar e, durante nove minutos, prestaram a sua homenagem ao homem que deu origem à revolta social.

A situação, ocorrida no passado dia 3 de junho, foi relatada pela norte-americana Runner’s World, citando como exemplo o caso do grupo de corrida liderado por Richard Issa Bockari, o Issa Run Crew. Os seus membros, no Dia Mundial da Corrida, e a exemplo de muitos outros grupos de Filadélfia, decidiram não correr, mas antes ajoelhar no principal cruzamento da cidade para um momento de silêncio que durou nove minutos.

Com estes nove minutos ajoelhados, os corredores procuraram homenagear George Floyd, negro de 46 anos que foi morto no passado dia 25 de maio por um polícia, em Minneapolis, que, após imobilizar Floyd no chão, manteve o seu joelho sobre o pescoço deste durante oito minutos e 46 segundos, acabando por matá-lo por asfixia.

LEIA TAMBÉM
Nike junta-se às vozes contra o racismo pedindo para que “For once, Don’t Do It”

«Nove minutos é muito tempo para estarmos ajoelhados», afirmou, em declarações à Runner’s World, Richard Issa Bockari, acrescentando que «a maior parte das pessoas [do grupo de corrida] são brancos e não entendem. No entanto, alguns deles, no final, não deixaram de escrever que “nove minutos é muito tempo”. Isto serviu para termos uma perspetiva daquilo que aconteceu a George Floyd, que viu a sua vida ceifada».

No entanto, Bockari também garantiu que o ajoelhar não foi algo premeditado, sendo que o convite inicial, publicado no Facebook do grupo, era apenas fazer uma marcha. No entanto, tudo simplesmente aconteceu…

A convocatória para a homenagem
A convocatória para a homenagem

Agentes da polícia que presenciaram o ajoelhar de inúmeros atletas, em plena Rittenhouse Square Park, acabaram orientando o trânsito em redor dos atletas, sendo que, no momento em que todos se levantaram, cerca de 15 agentes em bicicletas ajudaram, escoltando os corredores até ao parque.