Camilo Santiago foi punido pela Real Federação Espanhola de Atletismo com dois anos de suspensão após correr na Maratona de Dresden com um dorsal que não o seu.  

A história de Camilo Santiago tornou-se viral em Espanha, mas também um pouco em todo o mundo, já que o espanhol, com o dorsal do hondurenho Iván Zarco, tinha alcançado o melhor tempo de Honduras na Maratona, concretamente com o registo de 2h17m46.

O problema foi que não ter sido Iván Zarco a correr a prova… (leia aqui)

Agora, e após uma investigação interna do Comité de Competição da Real Federação Espanhola de Atletismo, a entidade suspendeu por dois anos o corredor, internacional pelo seu país na Maratona e Meia-maratona. 

Camilo Santiago já reagiu à punição, considerando a mesma de «desproporcional e injusta», referindo que é «comparável» as punições de «doping ou por coisas mais sérias».

O espanhol, que não sabe se vai recorrer da decisão, recordou ainda que foi autorizado pela organização a utilizar o dorsal, embora «depois alguém não tenha dito a verdade».