Especialmente se gosta de provas… diferentes, esta é uma que, certamente, já ouviu falar: The Beer Mile (ou A Milha da Cerveja). Um desafio que acaba de consagrar o seu campeão do mundo de 2020.

Competição, hoje em dia, já com marca própria e conhecida internacionalmente, a The Beer Mile consiste numa corrida de uma milha (1.609,34 metros) em pista de atletismo, com os atletas a terem de beber uma cerveja de 355 ml, com um mínimo de 5% de álcool, sempre que passam pela meta.

Face à distância estipulada, tal significa que os atletas acabam tendo de beber um total de quatro cervejas, sendo obrigados a, após a ingestão, e para que não fiquem quaisquer dúvidas, virarem totalmente o bocal da garrafa para baixo antes de puderem arrancar para a volta a seguinte.

LEIA TAMBÉM
Se acha que Cerveja e Corrida são incompatíveis, prepare-se para a Beer Runners!

Em 2020, com o mundo limitado pela pandemia de coronavírus, o campeonato mundial da Beer Mile acabou realizando-se de forma virtual, com os participantes, oriundos dos quatro cantos do planeta, a realizarem as respetivas provas nos seus países.

Com um prémio de oito mil dólares em disputa, a vitória final na Beer Mile 2020 acabou, este ano, por surgir ao norte-americano Chris Robertson, o qual conquistou assim o seu segundo título mundial neste campeonato. O atleta fixou inclusive um novo recorde dos EUA nesta disciplina, ao terminar com o tempo de quatro minutos e 38 segundos.

Na verdade, e aproveitando um dos aspectos contemplados no regulamento, o qual previa que os atletas pudessem realizar o número de Milhas da Cerveja que quisessem, durante os cinco dias que decorreu o Clássico Mundial da Milha da Cerveja de 2020, o norte-americano acabou realizando um total de três tentativas.

Na primeira tentativa, a 20 de junho, Chris Robertson cumpriu a primeira tentativa, com o tempo de 4m45, marca que lhe permitiu, logo aí, baixar o anterior recorde norte-americano, fixado pelo próprio em 2017, em um segundo.

Três dias depois, o mesmo Robertson realizou uma segunda tentativa, que terminou com o tempo de 4m48s. E seria na terceira e última tentativa que o norte-americano acabaria por fixar o novo recorde mundial, com o tempo de 4m38. Marca que, saliente-se, retira sete segundos ao anterior recorde.

De resto, importa igualmente salientar que Robertson tornou-se no primeiro norte-americano a conseguir cumprir a Milha da Cerveja em menos de quatro minutos e quarenta segundos. Algo, até hoje, só alcançado por dois atletas na história desta competição.

De referir, por último, que os 4m38 de Robertson ficam a apenas cinco segundos dos 4m33, que são o atual recorde do mundo da Milha da Cerveja.