Quatro vezes campeão do mundo na categoria M75 no mais recente Mundial Masters, em Torun, na Polónia, o espanhol Juan López García, em quarentena na sua casa de Toledo, corre 17 km por dia para não perder a forma.

Juan López García é uma unanimidade em Espanha, um exemplo para milhares de corredores no país vizinho. Hoje com 76 anos, no ano passado o espanhol conquistou quatro títulos mundiais em apenas uma semana no Mundial de Torun, concretamente na Meia-maratona (1h36m05), 10 km (42m33), 6 km Corta-mato (27m28) e 3000 metros (12m18s86).

Retido ao seu apartamento devido a pandemia da Covid-19 que assola o mundo, Juan López García não está parado, pelo contrário. Na sua casa, diariamente, corre cerca de 17 km por dia, já que o espanhol pretende manter a forma para o próximo grande evento da sua idade, o Europeu Masters, que será realizado em Braga entre 10 e 17 de janeiro de 2021 (a prova seria realizada na cidade minhota entre 15 e 22 de março deste ano).

LEIA TAMBÉM
Coronavírus: devo ou não correr no exterior? (Parte 2)
Hugo Barreto: «Quem quiser correr em casa recomendo encontrar uma forma de não parar»
Vai correr? Saiba a melhor forma de manter o distanciamento social

Chinês já correu mais de 510 km no seu apartamento
Espanha: corredora multada em 601 euros por correr na rua

O apartamento de Juan López García tem cerca de 60 m2 e o espanhol corre de divisão em divisão, mostrando que o confinamento não é proibitivo para quem realmente quer correr.

Além dos 17 km, o veterano espanhol, que não pretende perder a sua forma física, aquece os músculos com uma bicicleta estática e alongamentos. Além do mais, e em dois dias da semana, sobe e desce as escadas do seu prédio.

Em declarações à imprensa espanhola, Juan López García admite que nunca pensou que conseguiria se adaptar ao momento no qual vive, tanto a nível social como desportivo. No entanto…

«O corpo humano está feito para aguentar mais do que aquilo que acreditamos. Jamais podemos desanimar. Não temos de parar de fazer coisas, mas seguir, cada um à sua medida e com as suas possibilidades», afirmou à SER. «Não me dou por vencido (…) e, diante das dificuldades, devemos superar-nos a nós próprios.»

LEIA TAMBÉM

FOTO: AtletismoToledo