Numa altura em que, em Portugal, se fazem cada vez mais testes, são também cada vez mais não só o número de casos positivos de Covid-19, como também os doentes recuperados. Muitos deles, corredores. O que faz irromper a questão: como fazer para voltar a correr depois de um teste positivo a Covid-19?

Especialmente entre os portugueses que faziam regularmente uma atividade física como a corrida antes do surgimento da pandemia de Covid-19, a possibilidade de surgimento de um teste positivo ao vírus, vem colocar uma série de novas interrogações, não quanto só ao ultrapassar da doença, mas também relativamente ao regresso à corrida.

«Posso continuar a correr?«, «Que cuidados devo ter?», «Como devo fazer?» são apenas algumas das dúvidas que, certamente, percorrem a mente de todos aqueles que vivem uma situação de teste positivo ao Covid-19.

LEIA TAMBÉM
Serão assim os novos ginásios pós-pandemia Covid-19?

A opinião dos especialistas

Vários são os estudos que apontam na mesma e uma só direcção, como é o caso do liderado por James Hull e publicado na insuspeita revista Lancet ou o de Dermot Phelan, divulgado através da JAMA Cardiology: prudência, neste casos, é a palavra de ordem.

Isto porque, defendem os mesmos investigadores, o coronavírus é algo de novo, motivo pelo qual se desconhecem, na totalidade, os efeitos deste vírus, quer a curto quer a longo prazo no organismo humano. Razão pela qual, tanto Hull como Phelan, decidiram criar protocolos de ação que todos os atletas devem cumprir antes de passarem à atividade física mais extrema.

O dr. Hull recorda, inclusivamente, que «temos visto muitas pessoas que apresentam, no início, apenas alguns sintomas leves, dando a sensação de que vão melhorar rapidamente. No entanto, o que acaba acontecendo é que, por volta do sétimo dia após o aparecimento dos primeiros sintomas, pioram consideravelmente».

correr

Assim, o recomendável é que, a exemplo de várias outras doenças, o melhor mesmo é que o corredor, depois do teste positivo e mesmo com sintomas apenas leves, «não se exercite muito».

O papel do algoritmo

Aliás, também Aaron Baggish, responsável médico da Maratona de Boston, e Ben Levine, Professor de Medicina e Cardiologia no Centro Médico da Universidade de Texas Southwest, nos EUA, defendem que é preciso regressar com alguma cautela depois de se ter tido um teste positivo a Covid-19.

Sendo que, no caso destes dois especialistas, conseguiram desenvolver uma espécie de algoritmo capaz de representar tantos os corredores com testes positivos como aqueles que necessitaram de ser hospitalizados. A partir do qual desenvolveram uma série de práticas, das quais destacam, no comunicado feito a 8 de junho, a necessidade de «evitar o complexo de Ícaro».

LEIA TAMBÉM
Covid-19 fez com que Jordan Wylie corresse uma Maratona numa câmara de crioterapia

Tal como Ícaro se aproximou demasiado do Sol devido à sede de chegar mais alto, o que fez com que as suas asas derretessem e ele se despenhasse no solo, também os atletas apresentam, muitas vezes e segundo estes cardiologistas, um desejo incontrolável de voltar a correr o quanto antes sem levarem em linha de conta o perigo de possíveis lesões cardíacas resultantes da Covid-19.

Os quatro princípios

Assim, tanto Baggish como Levine propõem quatro princípios-base pelos quais todos os atletas e corredores amadores se podem distribuir, percebendo, a partir daí, a atitude a tomar:

  1. Não teve qualquer teste positivo: o atleta pode fazer exercício sem limitações, tendo atenção apenas ao distanciamento social e restantes recomendações emanadas da Direcção-Geral de Saúde
  2. Teve um resultado positivo, mas não tem sintomas: a recomendação é que o atleta se mantenha sem treinar durante as duas semanas seguintes à análise positiva. A partir daí, e caso a situação o permita, o corredor deve regressar lentamente aos treinos, seguindo os conselhos do pessoal médico
  3. Teve um resultado positivo e apresenta sintomas leves: o exercício não deve ser retomado durante as duas semanas após a alta médica, sendo que, mesmo aí, o regresso deve ser feito após avaliação de um cardiologista
  4. Foi hospitalizados com Covid-19: o aconselhamento é idêntico ao do caso anterior, embora o regresso deva ser encarado com ainda mais precaução e controlo médico.

Embora esta seja a recomendação dos dois cardiologistas, importa dizer também que alguns pneumologistas defendem uma postura ainda mais restritiva quanto a correr após um teste positivo a Covid-19. Ou seja, não fazer absolutamente nenhum exercício físico durante o período em que a doença estiver presente, nem tão pouco durante a primeira semana após ter sido declarado como totalmente recuperado.

Como reagir nas duas semanas seguintes

Totalmente recuperado da doença e cumprido um período de inatividade de duas semanas após a alta, todos os estudos apontam para que se possa regressar à atividade física. Ainda que, em alguns casos, possa continuar a existir alguma dificuldade respiratória a motivar alguma incomodidade.

No entanto, e ainda que podendo ser encarado como normal, até porque os sintomas não desaparecem de um dia para o outro, será sempre recomendável consultar um médico quando desejar voltar a correr após um teste positivo a Covid-19.