Um estudo recente publicado na BMC Medicine conclui que os corredores vegan, vegetarianos ou que apenas comem peixe aumentam o nível de fraturas ósseas.

Especialmente nos corredores, nutrientes como a proteína ou cálcio são essenciais para manter uma estrutura óssea saudável e reduzir o risco de fraturas, risco que, conclui agora um estudo, aumenta consideravelmente, quando em presença de determinadas dietas.

Segundo o estudo, publicado na revista BMC Medicine, atletas que seguem uma dieta vegan, vegetariana ou apenas pescetariana registam um aumento do risco de fracturas ósseas, em particular na zona da anca.

Contudo, e segundo a mesma investigação, tal acontece não forçosamente devido a falta de carne, mas com uma diminuição de cálcio e proteína.

LEIA TAMBÉM
A dieta low carb é benéfica para quem corre e procura performance?

O estudo levou em conta um grupo de indivíduos aos quais foram aplicadas dietas distintas entre 1993 e 2001, sendo que, não só durante esse período, mas também até 2010, os investigadores seguiram esses indivíduos tentando apurar de que forma a dieta de cada um fez aumentar ou diminuir o risco de fraturas ósseas.

Compilados os dados, os investigadores chegaram à conclusão que os atletas que seguiram uma dieta vegan, ou seja, sem qualquer produto animal, viram o risco de fratura óssea aumentar 2,3 vezes mais quando comparados com atletas que realizaram uma dieta omnívera, ou seja, com a carne a fazer parte da alimentação.

Ainda de acordo com os resultados obtidos, os vegan revelaram um maior suscetibilidade a fraturas na anca, perna e vértebras.

Uma dieta vegetariana faz aumentar o risco de fracturas ósseas

Quanto aos indivíduos que seguiram as dietas vegetariana ou pescetariana, também revelaram um aumento do risco de fraturas com os primeiros a verem esse risco aumentado em 25%, ao passo que os segundos registam uma subida de 26%.

Contudo, os responsáveis deste estudo referem que o trabalho não abordou a associação da carne na dieta de uma pessoa com risco de fratura, motivo pelo qual, e como já foi dito anteriormente, não é possível depreender que o aumento do risco de fratura óssea possa derivar da falta de carne na alimentação.

Comprovado fica que os vegan, vegetarianos e pescetarianos revelam um Índice de Massa Corporal mais baixo, além de menor ingestão de cálcio e proteína que os omnívoros.