Hidratação na Corrida

Um dos momentos mais complicados de todo o atleta é admitir que não está preparado para correr a prova que tanto deseja, que os treinos não decorrem como o esperado. Por isso, é preciso ter atenção aos sinais…

Jogar ou não a toalha, eis a questão. Esta pergunta, para um corredor, é dramática, já que, depois de tantos treinos, pode chegar a conclusão de que não está preparado para alcançar o objetivo proposto na corrida, o tempo final de que sonhou durante meses e meses de trabalho (principalmente quando é uma preparação para a Maratona).

No entanto, e por muito que custe, por vezes não há outro remédio, principalmente quando temos a plena consciência de que os treinos não estão a decorrer como o planeado. Quando isso acontece, é necessário refletir e, muitas vezes, desistir, custe o que custar. Ou então correr, mas com outros objetivos.

Deste modo, é necessário reter algumas informações quando os treinos não decorrem como o esperado:

  • É necessário reajustar as metas
    Uma paragem de duas, três ou um mês devido a uma lesão, uma doença ou outro fator qualquer é sinal de que dificilmente o atleta conseguirá alcançar os objetivos em termos de ritmo. Por isso, na prova, o melhor a fazer é diminuir o pace idealizado entre 5% e 10%, pelo menos na primeira metade da prova. Na segunda metade, se se sentir bem, pode-se aumentar o ritmo
  • O treino não está a fluir como o esperado
    Insatisfeito com o rendimento dos treinos? Pois, talvez não esteja preparado para correr ao ritmo que esperava. Portanto, e para não se desiludir, o melhor é reduzir as expetativas no dia da corrida

LEIA TAMBÉM
Quer melhores resultados na Maratona? Sorria mais, conclui estudo

  • Será melhor não correr?
    Se os treinos não correm como o esperado, não será melhor correr outra prova? Por vezes, é necessário mais tempo para uma melhor recuperação e preparação. Segundo vários estudos, para cada semana de corrida perdida na preparação para a Maratona, por exemplo, é necessário adiar a competição em três semanas. Ou, para cada semana de treino abaixo da média, é recomendado adiar uma semana (evidentemente que estes dados são genéricos…)

LEIA TAMBÉM
A prevenção e o tratamento no processo de overtraining

  • Cansaço ou overtraining?
    Estamos muito cansados ou em overtraining? Este é um dos grandes problemas dos corredores, compreender a ténue linha que separa o cansaço do sobretreino. No entanto, há sinais a reter, como dificuldade para dormir, fadiga persistente e/ou irritabilidade. Se os tempos têm piorado por várias semanas e está excessivamente cansado, o ideal é reduzir a carga de treino entre 30% e 50% durante duas semanas, realizando apenas corridas leves. Depois, o ideal é reavaliar a forma. Se não sentir melhoras, é melhor parar uma semana por completo. O que significa que, dificilmente, conseguirá alcançar os objetivos
  • Muitas falhas nos treinos?
    Se é costume falhar dezenas de vezes o plano de treinos, não se deve iludir: o melhor é desistir! Seja devido a lesões sérias ou leves, por preguiça ou outro motivo qualquer, não há milagres sem treinos recorrentes (e quilómetros nas pernas…). Mesmo as lesões menos graves, como a canelite ou a fascite plantar, colocam um ponto final na temporada se existir uma má recuperação.