Embora nem todos os corredores gostem, a realização de séries de determinados exercícios no treino pode tornar-se uma boa solução com vista a uma melhoria não só da forma física, como também das próprias marcas pessoais. Explicamos-lhe como e porquê.

Alguns corredores não gostam, por ser muito repetitivo; outros evitam porque preferem fazer um treino diferente. No entanto, a verdade é que a realização de séries, durante o treino, pode garantir benefícios tanto no que ao desempenho desportivo diz respeito, como na própria forma física.

No entanto, também importa dizer que existem vários tipos de séries, as quais devem sempre ser adaptadas no tempo e ritmo a cada atleta.

LEIA TAMBÉM
As séries e fartlek de Paulo Paula para a Maratona de Viena

Por exemplo, séries de distâncias maiores servem para ganhar resistência, mas também exigem maior tempo de recuperação. Já as séries de distâncias mais curtas visam fazer com que o corredor se torne mais veloz, exigindo menos tempo de recuperação.

Desta forma, e se o seu objetivo é treinar para a Maratona, o ideal será fazer não somente as séries mais longas, mas ambas, de forma a ser um atleta mais versátil e capaz de enfrentar as mais variadas situações.

Pelo contrário, se o objetivo é participar numa prova de curta distância, então a opção deve ser, maioritariamente, por séries curtas de forma a ganhar velocidade.

Os outros benefícios

Além dos exemplos atrás citados, a realização de séries durante o treino também pode contribuir para outros benefícios, como é o caso de:

  • Aprender a respirar melhor, até porque o respirar corretamente ajuda a ganhar tempo e velocidade
  • Reduzir a fadiga e melhorar a forma física
  • Ganhar força nas pernas

E, já agora, convém não esquecer os tempos de recuperação, importantes para evitar lesões.

Frequência das séries

Este é um daqueles aspectos que depende, sempre, da experiência e maturidade do corredor, assim como do nível de exigência das provas em que participa.

Dito de outra forma, um corredor principiante ou que não compete a um nível muito alto bastará fazer séries apenas uma vez por semana. Já um atleta mais experiente e que pretenda correr provas de maior gabarito, deverá introduzir as séries no seu treino diário duas a três vezes por semana.

Finalmente, e no que diz respeito ao número de séries por sessão de treino, tal dependerá sempre das distâncias para as quais se está a trabalhar, sendo que o princípio é o seguinte: quanto maior é a distância, menor deverá ser o número de séries.

De resto, o aconselhável é que, de início, se comece com um número reduzido, ampliando o número à medida que formos melhorando a nossa forma física.