musc

A musculação é um componente importante no treino de qualquer corredor, embora muitos ignorem este fato (ou prefiram ignorar…). No entanto, há milhões que não a descuram. O problema é ocorrerem vários erros na conjugação das duas, erros que afetam diretamete o nosso desempenho (inclusive provocam lesões). Belino Coelho, diretor técnico da Elite Assessoria Esportiva, do Brasil, responsável pelo treino e orientação de mais de 150 atletas, aponta os dez mais comuns.

 

Partilhe pelos amigos e faça um LIKE na nossa página. Obrigado!

 

1. Fazer musculação sem saber em que fase do treino da corrida se encontra. Nesse caso, não se sabe se deve treinar hipertrofia, força ou resistência

2. Aumentar a carga da musculação em pleno período específico do treinamento, ou seja, naquele período em que a intensidade está em crescendo

3. Fazer treino de alta intensidade na corrida e de alta intensidade na musculação para os membros inferiores no mesmo dia

4. Trabalhar somente membros inferiores ou superiores. Todos os grupos musculares precisam ser trabalhados, podendo dar uma ênfase maior aos membros inferiores

5. Fazer exercício de alta complexidade sem estar preparado. Comece do mais básico e só avance para os exercícios mais complexos quando sentir que os músculos que serão trablhados estão devidamente preparados para suportar a carga

6. Não fazer exercícios que fortaleçam o tibial anterior (músculo da canela). No Brasil é muito comum as academias não trabalharem esse músculo por ser pequeno, embora tenha um grau de importância muito grande para o corredor por absorver o impacto que é dirigido para a tíbia. O não fortalecimento dessa região pode gerar a famosa “canelite” e, em casos mais graves, a uma fratura por estresse

7. Ficar sem fazer musculação por duas ou mais semanas e retomar os treinos na semana de uma competição. Caso isso aconteça, é bem provável que fique dolorido e comprometa o seu rendimento na prova

8. Não fazer trabalho voltado para o “ganho de força” no período básico do treino e manutenção durante todo o tempo específico e competitivo do treinamento

9. Fazer trabalho de hipertrofia durante todo o ciclo de treinamento. Além de aumentar o gasto energético na corrida, há o comprometimento do rendimento nos treinos e da biomecânica de corrida, caso o ganho muscular seja elevado

10. No mesmo dia, fazer primeiro o treino de musculação quando o objetivo principal daquele momento é o desenvolvimento da condição física na corrida

Deixo agora uma questão:

Muitos atletas ficam na dúvida do que devem fazer primeiro quando precisam de treinar as duas modalidades no mesmo dia: o treino de musculação ou o treino de corrida? No próximo artigo disponibilizarei algumas dicas interessantes sobre este tema.

 

Ficou com alguma dúvida ou tem alguma sugestão de tema que gostaria que fosse abordado. Escreva para o seguinte endereço (belino.coelho@eliteesportiva.com.br) ou telefone (+55 11 5518-3409)

  • Este texto é escrito em português do Brasil