Em «Corra pela sua Felicidade – Corrida ao ar livre e mindfulness: a equação perfeita para uma vida saudável e equilibrada», editado pela Casa das Letras, William Pullen revela estratégias para melhorarmos a nossa perfomance na corrida. Um dos segredos é o mindfulness. 

CORRIDA CONSCIENTE

O corpo beneficia do movimento, e a mente beneficia da quietude.
SAKYONG MIPHAM RINPOCHE

 

Como qualquer corredor sabe, a corrida é uma atividade altamente recompensadora. Os seus benefícios incluem melhoramentos no corpo e na mente. Além disso, as pessoas que correm com regularidade muitas vezes experienciam uma maior concentração e determinação nas suas vidas. Outros referem uma recetividade nova ou uma espontaneidade maior. Há muitas formas com que a Terapia de Corrida Dinâmica pode amplificar aquela energia incrível e ajudá-lo a correr mais longe e mais depressa, aproveitando o máximo possível.

Para os que já são corredores, a TCD pode aumentar o prazer e os benefícios que retiram da corrida. Neste capítulo, as variações do exercício da corrida consciente, embora semelhantes às outras neste livro, não abordam um problema ou situação especial. Em vez disso, vão ajudá-lo a aproveitar ao máximo a sua corrida, melhorando a sua relação consigo mesmo e com o espaço verde à sua volta. Os exercícios são simples – uma espécie de corrida consciente que o liga a onde está e quem é. «Quando o mindfulness é aplicado ao desporto, cria entre a mente e o corpo uma espécie de unidade», diz Jon Kabat-Zinn.

Os exercícios de corrida consciente neste capítulo podem ajudá-lo a atingir aquele estado de fluidez que faz a sua corrida parecer natural, alegre e fácil. Para muitas pessoas, o esforço para melhorar a corrida é mental, uma voz interior incessante que nos diz que estamos cansados, que não conseguimos continuar e que devíamos provavelmente dar meia volta e ir para casa. A corrida consciente ajuda a silenciar essa voz, colocando-o em contacto com o seu corpo e o ambiente. Kabat-Zinn acrescenta: «A corrida faz-se respiração a respiração, passo a passo, momento a momento… Tem os seus próprios elementos meditativos calmantes e esclarecedores incluídos na sua estrutura.» Porque a corrida e o mindfulness são tão semelhantes e complementares, estes exercícios podem rapidamente pô-lo numa zona metronómica – aquele lugar onde o seu foco e os seus objetivos se tornam unos, e você sente-se impulsionado sem qualquer esforço.

LEIA TAMBÉM
Correr pela nossa Felicidade

A corrida consciente aumenta a confiança – não apenas na sua performance, mas também no seu sentido de identidade e no que é capaz de fazer. Enquanto os exercícios são simples, os resultados são profundos – maior força mental e concentração que pode utilizar na sua vida diária. Desta forma, as lições que aprendemos enquanto corremos ao ar livre podem muitas vezes ser aplicadas às nossas vidas quando não usamos os ténis. Encontrar aquela energia para dar mais aqueles poucos passos, esforçar-se para subir aquela colina íngreme ou desfrutar da livre fluidez da corrida a descer podem também tornar-se metáforas da forma com que abordamos os altos e baixos da vida. 

Por causa da sua ênfase na respiração, a corrida consciente ajuda-o a fugir do pensamento negativo que pode abrandá-lo. «A mente esforça-se menos e, deste modo, o corpo torna-se mais eficiente», diz Sakyong Mipham Rinpoche, um monge budista de Shambhala e maratonista.

 

LEIA TAMBÉM
Sente-se eufórico? Talvez seja da corrida

 

Uma parte importante da TCD é estar ciente dos seus pensamentos íntimos e deixá-los passar por si, reconhecendo a distinção entre o que é um pensamento temporário e o que é uma sensação verdadeira. A redução ou limitação do diálogo interior negativo é onde se alcança a verdadeira melhoria na performance.

Uma diminuição de lesões é mais um benefício da integração da corrida consciente no seu treino físico. «Você sabe quando pode puxar por si e quando precisa de abrandar. Muitos corredores já têm este conhecimento, mas não estão completamente cientes disso e não prestam atenção», diz George Mumford, um distinto psicólogo do desporto que ensina técnicas de mindfulness a equipas desportivas profissionais, tais como a equipa de basquetebol dos Chicago Bulls. 

Uma vez que ter consciência da respiração e das sensações corporais está no centro da corrida consciente, repara e reage mais depressa às necessidades do seu corpo. Não se sugere que a corrida consciente deva tornar-se a única forma de correr. Em vez disso, considere-a como uma forma de misturar um pouco as coisas, uma abordagem diferente à corrida e uma maneira nova de ganhar o dia. E se houver ocasiões em que se sente particularmente stressado ou que a vida o está a deprimir, pode descobrir que é a forma ideal de relaxar e desanuviar a cabeça. 

 

LEIA TAMBÉM
Costuma ser um parceiro ouvinte quando correr? Tem a certeza?…

 

Lembre-se de que a corrida consciente requer prática, mas não deve ser um fardo ou desafio. Se exigir ser o melhor, para aprender rapidamente e na perfeição, está a encarar isto de forma errada. Dê tempo a si mesmo para encontrar o seu próprio ritmo – toda a gente é diferente. Poderia ser confrontado com tipos inesperados de resistência, tais como o ruído na sua cabeça confusa. Registe a resistência, deixe-a passar, siga em frente. Não há objetivos. 

Você não procura alcançar a transcendência – simplesmente relaxe, esvazie a mente do lixo para que possa viver plenamente no momento presente – o seu momento presente.