É uma daquelas situações que a grande maioria dos corredores experimenta, mas nem sempre sabe explicar porquê. E o leitor, faz alguma ideia das razões porque as suas mãos incham quando corre?

O caso, e segundo explica o professor William O. Roberts, membro do Departamento de Medicina Familiar e Saúde Comunitária na Universidade do Minnesota, EUA, é até bastante comum. O especialista defende inclsuive que, mesmo quando inchamos das mãos ou dos dedos por causa do calor, tal não significa, por exemplo, desidratação.

Pelo contrário, defende Roberts, é exatamente o oposto: mãos ou dedos inchados podem ser sinal de hiponatremia, algo que também acontece quando se bebe muitos líquidos durante a corrida.

LEIA TAMBÉM
Corredoras jovens não devem focar-se no peso, defende estudo

«Durante o exercício, a circulação aumenta, sendo que a mão é um dos locais onde existem muitos pequenos vasos sanguíneos, que, nestas situações, dilatam», explica em declarações à Runner’s World. «O aumento da quantidade de sangue acaba acontecendo algum vazamento de fluído entre as células, o qual acaba sendo, muito provavelmente, o principal motivo do inchaço dos dedos.»

A par desta situação, o facto de balançarmos os braços ao correr também pode contribuir para a retenção de líquidos nas mãos, já que o movimento aumenta a passagem de ar pela pele, levando a melhorar a troca de calor com o ar.

Segundo o mesmo especialista, «esse fluído é muitas vezes reabsorvido pelas células ou então eliminado pelo sistema linfático (…), processo que ocorre quando estamos realizando exercício físico, ainda que o nível de evaporação seja mais lento que o nível de acumulação. Pelo que, assim que o exercício físico terminar, esses fluídos acabarão reabsorvidos no sistema vascular ou nas células vizinhas ou será removido pelo fluxo linfático».

Soluções

Quanto às soluções preconizadas para os atletas cujas mãos incham ao correr, Roberts defende que, sempre que notarmos que inchamos mais das mãos ao correr sob o calor, a primeira medida a tomar é passar a treinar a horas menos quentes do dia.

A par desta opção, abdicar de correr com anéis ou pulseiras também poderá ser uma boa ideia, até para que, com o inchaço dos dedos, não provoquem qualquer estrangulamento.

Finalmente, e mais importante que as medidas atrás descritas, há que definir o seu plano hidratação, em particular para corridas mais longas que duram mais de uma hora ou que tenham lugar a horas do dia mais quentes ou húmidas.

Aliás, um estudo recente publicado no European Journal of Applied Physiology, sugere que beber água sempre que sentir sede resultará numa hidratação adequada após uma corrida de duas horas e independentemente da temperatura exterior.

Assim, ouça com atenção os sinais do seu corpo de forma a prevenir o excesso de hidratação, situação que pode levar a sintomas de hiponatremia.