Joe Wicks aborda esta terça-feira uma das três principais fontes de energia dos corredores, os carboidratos (as outras são as gorduras e as proteínas). «Muitas pessoas parecem ter medo de comer pão branco, massa e arroz e tentam bani‑los das suas vidas. Eu chamo a estas pessoas “a brigada anti‑carboidratos brancos”», refere o autor da obra editada pelo Clube do Autor, “Elegante em 15 minutos“.

Chamamos às nossas três principais fontes de energia – gorduras, proteínas e carboidratos – macronutrientes. Todos eles desempenham um papel fundamental a ajudar o nosso corpo a ficar em forma, mais forte e saudável. O regime alimentar proposto neste livro não cortará qualquer macronutriente à sua dieta, irá antes fazer com que os ingira nas proporções certas, na altura certa, de forma a receber do seu organismo a melhor reação possível.

Com atividades de baixa intensidade, como ver televisão, fazer compras e até dormir, o seu corpo recorre sobretudo às gorduras para se alimentar. Quando em esforço, socorre‑se principalmente dos carboidratos armazenados, onde vai buscar a energia de que necessita. Vou mostrar‑lhe como reverter esse conhecimento a seu favor para que possa assegurar que o organismo utiliza sempre a fonte de energia correta de acordo com as suas necessidades.

Os carboidratos são um dos temas do livro de Joe Wicks
Os carboidratos são um dos temas do livro de Joe Wicks

Falemos de carboidratos

Há uma enorme confusão à volta dos carboidratos – quais os bons e quais os maus, quando os podemos comer ou quando não o fazer. Vou esclarecer tudo isso e mostrar‑lhe a fantástica fonte de energia que podem ser.

Todos nós ouvimos falar sobre aquele mito ridículo de que comer carboidratos depois das seis da tarde engorda. É um autêntico disparate! Os carboidratos não engordam. O que na verdade nos faz ganhar gordura é comer mais do que as energias despendidas pelo nosso organismo. Portanto, desde que comamos a quantidade certa por dia, não ganharemos gordura. Poderemos assim ser capazes de treinar mais e de ganhar mais músculo, o que nos deixará mais adelgaçados.

Porque razão precisamos de carboidratos?

• Os carboidratos são a maior fonte de energia para os músculos durante um treino intensivo
• São necessários para o normal funcionamento do sistema nervoso central, rins e músculos
• Os carboidratos também contêm fibras, importantes para a regulação do trânsito intestinal e para a digestão
• São essenciais para uma função cerebral equilibrada.

Muitas pessoas parecem ter medo de comer pão branco, massa e arroz, e tentam bani‑los das suas vidas. Eu chamo a estas pessoas «a brigada anti‑carboidratos brancos». Firmes na sua crença de que não se pode comê‑los quando se tenta perder peso, passam a alimentar‑se apenas da versão integral desses alimentos.

LEIA TAMBÉM
Confinamento com receitas saudáveis e exercícios eficazes com Joe Wiks

Mas não há por que recear os carboidratos brancos. Embora seja verdade que os carboidratos integrais apresentam uma carga glicémica mais baixa (CG), o que significa que não fazem com que os níveis de açúcar no sangue aumentem tanto como os carboidratos brancos, após o exercício físico o nosso corpo gosta realmente de alimentos com elevada CG.

«IRÁ ALIMENTAR‑SE DE FORMA DIFERENTE EM DIAS DE TREINO E EM DIAS DE DESCANSO»

Quanto mais elevada for a CG de um alimento, maior será o aumento dos níveis de glicose no sangue, levando o pâncreas a libertar insulina. Contudo, esta resposta da insulina é maior após o exercício, significando que os nutrientes da refeição atestada de carboidratos são mais rapidamente transportados para os músculos. A combinação de carboidratos de CG elevada com os de CG mais baixa, como flocos de aveia com sacarose, reduz a CG total e o aumento dos níveis de açúcar no sangue.

Resumindo, se gostar de arroz integral, coma arroz integral, mas se suspirar por uma taça cheia de arroz branco, ou por um bagel, saiba que a melhor altura para pecar é depois de um treino.

Na quarta-feira, teremos quatro receitas obrigatórias para qualquer corredor segundo Joe Wicks, ideais para prepararmos nestes tempos de quarentena.

LEIA TAMBÉM