Muitos corredores aproveitam o gasto calórico despendido no treino ou na prova de corrida para comer um doce. Um erro, defende a nutricionista Patrícia Segadães.

Patrícia Segadães ressalta que não há estudos que defendam a teoria de que o consumo de doces após a realização de treinos e provas não faz tão mal como se acontecesse no resto do dia. Uma ideia partilhada por milhares de corredores.

LEIA TAMBÉM
Sabe qual o tipo de sapatilhas que deve escolher para correr?

No entanto, a nutricionista não é defensora dessa “teoria popular”/mito urbano. Pelo contrário! Segundo a nutricionista, é verdade que o corpo está propenso a receber determinados nutrientes, «mas não está provado de que essa é a altura ideal para nós darmos uma carga de açúcar elevada» ao nosso corpo.

Pessoalmente, Patrícia Segadães defende o equilíbrio do consumo entre os açúcares e os aminoácidos, sempre tendo em vista a recuperação muscular pós-treino.

Patrícia Segadães ressalta a importância da hidratação após o treino da corrida

Aliás, em relação ao pós-treino, a especialista refere que um dos cuidados que o corredor deve ter em mente é a hidratação (tanto no pós como no pré e durante…). Patrícia Segadães revela inclusive que há inúmeros estudos que revelam que 50% das lesões na corrida se devem à falta de hidratação. Um dado realmente alarmante e para ter em conta.

LEIA TAMBÉM
Maurten, o Santo Graal da nutrição desportiva

A nutricionista salienta ainda no vídeo abaixo o que devemos comer, por exemplo, na primeira refeição pós-treinos/provas. Conselhos que devem ser ouvidos com muita atenção e que devem ser seguidos, sempre tendo em conta a nossa recuperação muscular.