Rui Pacheco, da AMCF-Arrábida Trail Team, foi recentemente quarto classificado na Ehunmilak Ultra Trail (170 km/D+ 11000), numa prestação que encheu os olhos dos presentes e que por 26 minutos não o colocou no pódio. O objetivo era melhorar o tempo do ano passado e terminar a prova em 25 horas. Conseguiu em 24 horas…

 

Quantas vezes já correu a distância da Ehunmilak Ultra Trail?
Agora foi a quarta prova de 100 milhas, curiosamente a terceira vez na Ehunmilak. Em 2015 estive no Ultra Trail de Mont Blanc (UTMB).

Três vezes no Ehunmilak Ultra Trail… Qual a razão?
Simplesmente porque sou sempre muito bem recebido. É uma prova com uma organização brutal, com 1500 voluntários para 1200 atletas. O apoio dos bascos durante a prova também é fantástico, sinto-me em casa.

Poderia falar sobre a preparação? Quando começou? Qual o principal foco? Quantos km por semana, em média? Como se preparou para correr a noite? Etc.
Comecei a preparação no início do ano, com o aumentar gradual dos treinos longos e algumas Ultra (50km) pela minha equipa de Trail, a AMCF Arrábida Trail Team. O pico de intensidade aconteceu em abril, com o MIUT 115km. Após recuperar da prova, realizei ainda alguns fins-de-semana de treinos longos em altitude, na Serra da Estrela.

 

Rui Pacheco na Ehunmilak Ultra Trail
Os momentos de Rui Pacheco na Ehunmilak Ultra Trail

 

Após ter concluído a Ehunmilak Ultra Trail, o que acrescentaria ao plano de treino e o que retiraria?
Acrescentaria mais alguns treinos de força (ginásio e bicicleta) e faria menos provas (Ultras) devido ao desgaste que provocam e pelo tempo que demora a recuperar das mesmas.

Concretamente, qual era o objetivo inicial?
O objetivo passava por melhorar o tempo do ano anterior e procurar fazer a prova em 25h00. 

Rui Pacheco considera Ehunmilak Ultra Trail mais dura que o UTMB

 E qual a estratégia utilizada inicialmente para a corrida? E conseguiu seguir a mesma ao longo da corrida?
A estratégia passava por começar num ritmo mais forte, embora controlado. Levava comigo uma “cábula” com os tempos de passagem do ano anterior e assim ia me motivando ao ver que estava a melhorar bastante em relação ao ano anterior.

O percurso da Ehunmilak é considerado de extrema dificuldade por muitos corredores e especialistas. Qual a sua opinião?
Sim, é verdade. A Ehunmilak Ultra Trail é realizada numa região com muita humidade (no início da prova posso dizer que estavam 35 graus, com 90% de humidade), o que faz com que o piso barrento se torne, em algumas partes, muito lamacento e escorregadio, e, em outros, muito técnico, principalmente a subida ao Tchindoki, aos 96km (costuma-se dizer que é precisamente aí que a prova começa), e a subida do Azkorri, aos 140km.
Com um percurso quase todo em pedra, com 11000 D+, torna-se muito violento para os quadricípites. O UTMB não é tão técnico e são menos subidas, embora mais longas e em maior altitude, mas acaba por ter mais estradões para correr (para quem conseguir correr em 100 milhas…)

CONTINUA…