Rui Martins Ultra-Maratona

Triatleta e ultramaratonista, Rui Martins é também um exemplo na corrida. Depois de ele próprio ter vencido um cancro num joelho, propôs-se agora ajudar a Associação de Paralisia Cerebral de Lisboa (APCL), realizando uma Ultramaratona solidária. Porque ajudar é preciso e é importante.

Descrevendo-se como um treinador que gosta de ver mudanças positivas e saudáveis em cada atleta e amigo, Rui Martins sabe o que é ultrapassar dificuldades.

Aos 16 anos, foi-lhe diagnosticado um cancro num joelho e, apesar das dificuldades e sofrimento por que teve de passar, terá sido aí que começou a construir a determinação que ainda hoje procura passar aos filhos – nunca desistir.

O espírito solidário

Solidário, não voltou a cara às necessidades da Associação de Paralisia Cerebral de Lisboa, onde voluntariamente dá treino aos utentes. Razão pela qual decidiu levar cabo, com o apoio de várias entidades, uma Ultra-maratona Solidária, a ligar a localidade de Odivelas, em Ferreira do Alentejo, à sua Odivelas, nos arredores de Lisboa.

LEIA TAMBÉM
Rui Martins correu numa pista de 400 metros durante… 12 horas

Basicamente, serão cerca de 200 km a correr, com cada quilómetro cumprido a representar uma verba que irá diretamente para a associação. Pois, e conforme o próprio também desabafa, em entrevista aos CORREDORES ANÓNIMOS, «estou um pouco por dentro da realidade deles e sei o quanto têm falta de muita coisa, infelizmente».

O Rui Martins prepara-se para realizar a sua primeira Ultra-maratona solidária. Como foi que lhe surgiu este desafio?
Este desafio fui eu que o propus à Associação de Paralisia Cerebral de Odivelas, onde voluntariamente dou treinos aos utentes. Na minha planificação de treino, tinha de testar o corpo em algo longo e foi então que tive a ideia de fazer algo solidário e que permitisse ajudar a Associação.

Com o objectivo de ajudar a Associação de Paralisia Cerebral de Lisboa, o ultramaratonista Rui Martins vai fazer uma Maratona solidária de cerca de 200 km, a ligar a alentejana Odivelas, à Odivelas na Grande Lisboa
Com o objectivo de ajudar a Associação de Paralisia Cerebral de Lisboa, o ultramaratonista Rui Martins vai fazer uma Ultra Maratona solidária de cerca de 200 km, a ligar a alentejana Odivelas, à Odivelas na Grande Lisboa

Já agora, porquê da Odivelas, em Ferreira do Alentejo, à Odivelas, em Lisboa? E porquê a APCL – Associação de Paralisia Cerebral de Lisboa?
Relativamente à ligação entre as duas Odivelas, resulta da ligação que existe entre as duas localidades e porque o percurso é dentro daquilo que pretendo fazer, em termos de dificuldade. Quanto à escolha da APCL, tem a ver com o facto de eu estar um pouco por dentro da realidade deles e saber que, infelizmente, têm falta de muita coisa.

De que forma prevê que decorrerá a prova? E quais são as principais dificuldades que o Rui antevê, nestes cerca de 200 quilómetros?
A corrida vai ser feita de uma vez só, sendo que eu vou tentar parar o menos possível, procurando criar um verdadeiro ambiente de competição, apesar de correr completamente só. Quanto à maior dificuldade, penso que vai ser o frio que irei apanhar à noite, além do trânsito.

Apaixonado pelas grandes distâncias, Rui Martins decidiu aproveitar a sua preparação para a época que agora começa, para apoiar a Associação de Paralisia Cerebral de Lisboa
Apaixonado pelas grandes distâncias, Rui Martins decidiu aproveitar a sua preparação para a época que agora começa, para apoiar a Associação de Paralisia Cerebral de Lisboa

Outro aspecto de realçar é o facto do Rui ter conseguido reunir, em torno de uma causa, várias entidades públicas e privadas. Foi um desafio difícil?
Na verdade, foi muito fácil de conseguir, não só pelo objetivo, mas também por estar a representar entidades que são super credíveis, como Câmara Municipal de Odivelas, o Centro de Marcha e Corrida de Odivelas, Odivelas Cidade Europeia do Desporto 2020 e APCL.

A Ultramaratona solidária vai ter lugar nos próximos dias 8 e 9 de fevereiro. De que forma é que os portugueses vão poder acompanhá-lo?
A forma de me acompanharem neste desafio será mesmo através da minha página de Facebook, Rui Martins Endurance. Isto porque a minha equipa de apoio vai estar a passar o máximo de informação possível. Equipa que é constituída pelo Miguel Carneiro, Luis Melato e Fernando Alves.

[CONTINUA…]