Com uma vasta experiência, Paulo Paula defende que os mais novos não devem procurar ser um Superman no início das suas carreiras. O brasileiro fala ainda sobre a sua mudança de clube em Portugal, concretamente para o Sport Comércio e Salgueiros.

Mudou recentemente de clube, representando agora o Salgueiros. Porquê?
Sim! A razão dessa mudança é de ordem pessoal, mas sempre com a melhor visão futura em termos da minha atividade desportiva.

Mas o que encontrou de positivo na estrutura do clube?
É importante para nós, atletas, sentirmos todo o apoio por parte das entidades desportivas, mas mais importante é quando os órgãos máximos dessa mesma entidade amam a mesma modalidade que nós. Essa foi a razão mais importante que encontrei no Sport Comércio e Salgueiros, tanto da parte do presidente Gil Almeida como da sua equipa diretiva. Tal como eu, todos amam o Atletismo. Para mim, isso foi mais do que suficiente para a minha mudança.

LEIA TAMBÉM
Kilian Jornet vai atacar o recorde do mundo a correr em pista durante 24 horas

Tem treinado com um dos grandes nomes do Atletismo português, Luís Feiteira. Como tem sido essa troca de experiências?
Na verdade, tenho trabalhado com o Feiteira já faz algum tempo. Desde 2011 que ele tem sido um grande parceiro. Além de ser um grande atleta, tem sido o meu exemplo de responsabilidade e gerência de carreira. É por esse motivo que coloquei a minha vida profissional em Portugal nas suas mãos, tendo a certeza de ter feito a melhor escolha.
O Feiteira é um grande atleta e tem planos, assim como eu. Como parceiro de treinos, vamos juntos em busca desses objetivos.

Sendo um corredor com muita experiência, qual recado poderia dar aos mais jovens em relação a Maratona, tanto brasileiros como portugueses, já que, na distância, neste momento, há escassez de novos nomes?
O meu conselho para todos os atletas que estejam a iniciar é não procurarem ser um Superman. Na fase do auge das suas carreiras, não devem participar de todas as provas de todas as modalidades. No ínicio da carreira, e se ganharem algum dinheiro, é importante investir na carreira, participando de campings internacionais, por exemplo. Também é fundamental correr com os melhores, atletas com tempos superiores.
Além de não serem Superman, é importante, na minha opinião, Paulo Paula, ir atrás de experiência, de se acostumar com as grandes provas, não se sentir um estranho no ninho nesses eventos.

Leia aqui a primeira parte da entrevista com Paulo Paula, que revela os seus treinos e como o seu tempo melhorou quando aumentou o volume e reduziu os treinos de série.