Para concluir as 7 maratonas em 7 dias em 7 países, Fábio Antunes teve de ouvir discursos motivacionais para não desistir do evento…

Poderia fazer um pequeno resumo de cada corrida, das sete maratonas?

  • Genebra, Suíça
    Devido ao adiamento do desafio para outubro de 2021, não conseguimos coincidir com a Maratona oficial de Genebra. No entanto, fizemos um percurso bastante semelhante ao da Maratona oficial. Percorremos o interior entre as montanhas e as margens do Lago de Genebra antes de terminar no coração da cidade, em frente ao famoso Jet d’Eau.
    Facto interessante: Albert Einstein inventou a famosa equação E=MC2 quando estava na Suíça
  • Lago de Annecy, França
    Com uma circunferência de quase 42 km, parece que esta beleza natural foi feita para um percurso de Maratona. Embora seja oficialmente uma corrida alpina, nem chegámos a atingir os 350 metros de elevação. Um percurso inesquecível devido às maravilhosas vistas da água azul-turquesa e das montanhas.
    Facto interessante: o Lago Annecy é o terceiro maior lago de Fran. Foi formado há 18.000 anos, na época em que o maior glaciar alpino derreteu. É conhecido como o lago mais limpo da Europa
  • Bellagio-Como, Itália
    Esta é uma das três maratonas que começavam e terminavam num local diferente. Começámos na pequena cidade de Bellagio, seguimos para o sul ao longo das margens do Lago Como por 13 km até subirmos 800 metros pelas colinas que nos levaram até à linha de chegada no porto de Como. A maior compensação desta Maratona desgastante foi sem dúvida a bela paisagem
    Facto interessante: os seguinte filmes contêm cenas filmadas no Lago de Como: Star Wars | James Bond, Casino Royale | Oceanos 12 | Um mês no lago
  • Liechtenstein
    A Maratona em Liechtenstein começou com uma perda de elevação de mais de 1000 m logo nos primeiros 10 km. Assim que chegamos ao fundo da montanha, fomos para o sul, em direção à fronteira com a Suíça, antes de dar meia volta e correr toda a extensão do país até a fronteira norte com a Alemanha e Áustria. Esta foi dolorosa para os joelhos!
    Facto interessante: o Snoop Dogg tentou alugar o país inteiro de Liechtenstein para uma gravação de vídeo e a principal razão pela qual eles disseram não foi porque não avisou com suficiente antecedência 
As 7 maratonas que correu Fábio Antunes no mapa europeu
As 7 maratonas que correu Fábio Antunes no mapa europeu
  • Dornbirn/Bregenz, Áustria
    A quinta Maratona teve linha de partida e chegada localizadas na cidade austríaca de Hard. Começámos por seguir caminho para norte, ao longo da linha costeira de Obersee, em direção à fronteira alemã, onde fizemos uma curva em direção à cidade de Dornbirn. Depois de Dornbirn, seguimos 9 km para oeste, em direção à fronteira com a Suíça, onde fizemos meia volta nos 6 km finais para terminar em Hard. Já só faltavam mais duas…
    Facto interessante: nesta localidade fica o Bregenzer Festspiele, um festival de artes performativas que apresenta o maior palco flutuante do mundo
  • Constança, Alemanha
    A Maratona número seis aconteceu na histórica cidade de Constança, onde os vestígios de civilização datam da Idade da Pedra. Durante a corrida conseguimos desfrutar tanto da arquitetura como das vistas panorâmicas do lago enquanto nos dirigimos para dar a volta à Ilha Reichenau antes de seguir para a linha de chegada nas margens da fronteira suíça
    Facto interessante: em Constança pode encontrar-se um dos assentamentos pré-históricos de palafitas nos Alpes, que pertence ao Património Mundial da UNESCO
  • Luxemburgo
    Com planícies e florestas, lagos e rios, as paisagens de Luxemburgo são tão encantadoras quanto fascinantes e não há melhor maneira de explorá-la do que a pé. Correr pelo Luxemburgo foi uma surpresa a cada passo: havia uma vila pitoresca aqui, uma ruína antiga ali e vistas incríveis. O caminho final para a vitória do run 777 teve de tudo
    Facto interessante: metade da força de trabalho de Luxemburgo desloca-se para trabalhar no Luxemburgo de outro país.

LEIA TAMBÉM
Fábio Antunes correu 7 Maratonas em 7 Dias em 7 Países

E quais as dificuldades de cada uma em concreto?
A maior dificuldade nas três primeiras foi controlar-me e continuar sempre no mesmo ritmo. Era importantíssimo não ser levado pela emoção e deixar que a passada aumentasse para não colocar em causa as maratonas finais.
Liechtenstein, a quarta, foi mais difícil do que antecipara. Quando preparei a estratégia psicológica para a prova, considerei sempre que na quarta Maratona teria uma motivação extra porque iria ser o ponto médio da prova. O oposto aconteceu… Durante a Maratona, a realização de que ainda tinha outros tantos quilómetros pela frente foi superior e por essa razão foi mentalmente mais difícil do que as primeiras. 
Mas sem dúvida que a mais difícil foi a quinta maratona, na Áustria. Chovia a cântaros e acordei com o tornozelo inchado. Fiz os primeiros 5 km a caminhar, por exemplo. Nessa altura, já passara mais de uma hora desde o início da corrida e eu estava molhado, cheio de frio e desanimado. Pelas minhas contas, àquele ritmo, iria demorar mais de sete horas até conseguir terminar a Maratona. Foi aí que pensei em desistir. Nesse momento, decidi colocar os auriculares e começar a ouvir uma lista de discursos motivacionais que encontrara na internet e preparara anteriormente para ouvir numa eventualidade deste género. Em menos de dez minutos, já me passara a ideia de desistir e fui progredindo da caminhada para uma corrida lenta. Assim continuei, a um ritmo moderado mas sustentável, e, pouco a pouco, fui ganhando cada vez mais confiança e consegui terminar a Maratona. A partir daí, sabia que o pior já passara.
Na sexta e sétima maratonas, a única dificuldade foi só mesmo ter o tornozelo direito ainda um pouco inchado, mas estava muito confiante. Na Alemanha, a sexta, fiz o melhor tempo da semana: 4h15. Comecei muito bem e, perto dos 15 km, decidi seguir sozinho na frente e tentar fazer o melhor tempo possível. Na minha mente não tinha nada a perder. Se o pior acontecesse, fazia a última Maratona a caminhar. Foi pena não ter começado a corrida com esse objetivo em mente, pois teria conseguido fazer em menos de 4h00.
No Luxemburgo também dei o meu melhor, mas foi mais difícil em termos de navegação. E teve muito Trail, só ficou atrás da Itália em termos de ganhos em elevação.

Na quinta-feira, Fábio Antunes revela a Maratona que mais gostou de correr