Emanuel Rolim, atualmente com uma lesão, vive um momento de recuperação, físico e mental, já que pretendia estar nos Jogos Olímpicos de Tóquio..

Em relação a sua carreira, foi operado há pouco tempo. Esta foi a lesão mais grave que já sofreu?
Todas as lesões são graves, pois interrompem o processo de evolução do atleta. Já fui operado como júnior e voltei a correr ao melhor nível. Por isso, é apenas mais um obstáculo na minha carreira.

Mas até que ponto esta lesão em concreto afeta toda a sua carreira?
Posso dizer que pode ter dificultado o meu grande objetivo de carreira, que é a participação nos Jogos Olímpicos. É já no próximo ano, 2020, e ainda tenho um período de recuperação para fazer. Tenho um clube que acredita no meu valor e a prova disso é já ter realizado 10 épocas ao serviço do Benfica. Vou continuar a trabalhar para esse objetivo, pois ainda tenho um longo percurso pela frente.

Ficou muito desanimado quando soube que era melhor operar ou considerou que, pelo contrário, era mesmo a solução ideal para acelerar a sua total recuperação?
Fiquei animado por finalmente ter uma solução para este problema. Depois de alguns treinos a ir mesmo ao limite com as dores nos tendões de Aquiles, a suposta “inflamação” que pensávamos ao início ser a causa não desaparecia, nem com repouso total. Afinal, o osso é que estava constantemente a incomodar o tendão. Daí a intervenção cirúrgica para eliminar esse problema.

Como está a decorrer a sua recuperação? Mais complicada do que imaginava?
Está a correr bem, não tenho tido dores nenhumas fora do normal.

LEIA TAMBÉM
Emanuel Rolim quer mostrar que há mais vida além do futebol
Emanuel Rolim, atleta e… youtuber

Qual a sua rotina de recuperação?
Tive um período de descanso, pois a ferida tinha de sarar para poder começar a fisioterapia. À 3.ª semana comecei a fisioterapia regularmente e tenho tido uma evolução bastante boa. Tenho sido acompanhado bastante de perto pelo departamento médico do Benfica e os resultados são visíveis.

O que custa mais na sua recuperação? Por exemplo, psicologicamente, é complicado não correr?
É sempre complicado não poder fazer o que somos bons e nos dá prazer. Mas, como se diz, «já não é a primeira lesão e aprendi a lidar com isso.»
Tento abstrair-me do Mundo do Atletismo ao máximo e focar só na minha recuperação. Se me entusiasmar com os resultados posso vir a saltar etapas na minha recuperação e estragar tudo o que foi feito.
Isto para dizer que, por mais lesões que um atleta possa vir a ter, há sempre soluções quando se acredita. Também costumo dizer que «só cá ficam os que realmente querem», pois o Atletismo não é um desporto nada fácil.

Quando acredita o Emanuel Rolim estar recuperado da lesão para poder regressar em pleno? E, quando isso acontecer, qual o seu objetivo da temporada? Ainda há algum ou o intuito é recuperar do melhor modo para a próxima época?
Estou com cerca de um mês pós-cirurgia e já começo a colocar o pé no chão sem dores. Estarei brevemente a andar. Quero focar-me na recuperação e não traçar para já objetivos. Sei que será uma época difícil em termos de grandes resultados, mas só depende da qualidade da minha recuperação. Um passo de cada vez… Com trabalho, os resultados aparecem na altura certa.

Na quinta-feira, Emanuel Rolim revela algumas dicas para quem quer correr, mas também para quem quer ser Youtuber.