Melhor português na recente Maratona de Lisboa, Edgar Matias tinha como plano correr a Maratona de Londres, algo que acabou por não acontecer devido à situação pandémica. A sua decisão acabou por ser mais do que acertada…

Como é rotina, mais uma vez viram-se poucas pessoas a apoiar os atletas, também muito fruto do percurso da prova, na sua grande maioria na Marginal. Como atleta, gostaria de ter mais público a apoiar ou ter uma prova mais rápida?
Como atleta queremos sempre o melhor dos dois mundos, percursos rápidos e com muita gente a apoiar. Em Lisboa é o que é possível, atendendo às características do percurso, mas há sempre um ou outro ponto em que as pessoas se juntam mais para apoiar. Na parte final já se vê muita gente.

E como foi este regresso pós-Covid-19? A Maratona de Lisboa sempre esteve nos seus planos?
O regresso à competição foi espetacular, voltar a sentir o prazer que só as provas nos proporcionam é de facto muito gratificante. Foi muito bom o regresso ao convívio entre atletas e amigos, mesmo com algumas restrições. A Maratona que estava nos meus planos para esta altura do ano era a Maratona de Londres mas, devido à situação pandémica, não foi possível organizar de forma segura e atempada a viagem. Mas em boa hora optei pela Maratona de Lisboa e pelo campeonato nacional de veteranos…

Edgar Matias na véspera do grande dia, sem imaginar do que alcançaria pouco depois na Maratona de Lisboa
Edgar Matias na véspera do grande dia, sem imaginar do que alcançaria pouco depois na Maratona de Lisboa

Tem experiência nas maratonas de Lisboa, Porto e Sevilha, três maratonas com muitos portugueses. O que poderia falar sobre as três, individualmente?
Todas elas são especiais. A de Lisboa foi agora a minha primeira participação e passou a ser especial pelos motivos óbvios já mencionados. A do Porto é sempre especial porque é uma cidade linda e acolhedora, que eu adoro e sempre cheia de público a apoiar os atletas, para não falar da excelente organização. Sevilha é especial porque foi onde fiz a minha primeira Maratona. O percurso é incrivelmente rápido e os espanhóis apoiam como ninguém os atletas.

E, para o atleta Edgar Matias, os pontos positivos e negativos das maratonas de Lisboa, Porto e Sevilha?

  • Lisboa:
    Pontos positivos: a cidade, a proximidade, a beleza do percurso
    Pontos negativos: A falta de público, distância enorme entre a chegada e recolha de sacos, algum sobe e desce na parte inicial
  • Porto:
    Pontos positivos: a cidade, beleza do percurso, público, organização
    Pontos negativos: Algum sobe e desce no percurso
  • Sevilha:
    Pontos positivos: a cidade, percurso rápido e muito plano, o público é incrível
    Pontos negativos: preço, logística e a falta de estacionamento na cidade