No Brasil, a 99run é uma das empresas que trabalha há quatro anos com o que é hoje moda no mundo, a corrida virtual, que não tem capacidade de substituir a emoção das provas de rua.

Em entrevista concedida ao canal do YouTube do RunRobertRun, os mentores da 99run revelaram que a corrida virtual é «uma motivação a mais para o corredor realizar o seu treino», ao mesmo tempo que admite que a demanda por estas provas tem aumentado significativamente nos últimos meses, fruto da pandemia do coronavírus. «A procura aumentou bastante», admite Daniel Pawel.

Uma constatação óbvia e facilmente verificável, seja em que parte do mundo, uma tendência que assola inclusive os grandes nomes do Atletismo. Por exemplo, nos próximos dias 6 e 7 de junho, Joshua Cheptegei, Geoffrey Kamworor, Kenesisa Bekele e Eliud Kipchoge vão participar numa Maratona virtual. Em Portugal, o Maratona Clube revelou que as suas provas estão esgotadas

Daniel Pawel salienta na entrevista que as corridas virtuais permitem que qualquer corredor, em qualquer lugar, consegue participar de um ranking mundial. Na 99run, por exemplo, a empresa conta com corredores do Brasil e de mais seis países, entre eles a Argentina e o México.

O responsável ressaltou também um dado interessante para a existência deste tipo de eventos, referindo que, em algumas cidades do Brasil, a realização de provas são uma raridade e inclusive uma utopia, o que, com as corridas virtuais, tal necessidade pode ser reduzida caso os corredores não consigam viajar por questões monetáris, por exemplo.

«As corridas virtuais são corridas em que a pessoa compra o kit e só o recebe na sua casa assim que conseguir fazer a comprovação de que percorreu a distância selecionada num treino», define Daniel Pawel. «Esta comprovação pode ser através de aplicativos como Strava, Nike Run ou adidas Runtastic ou uma foto do painel da passadeira.»

Com quatro anos no mercado, a Run99 acredita que, apesar do êxito das corridas virtuais nos nossos dias, ela jamais vai substituir as provas de rua.

«As corridas virtuais são uma alternativa às corridas de rua, já existiam antes da quarentena. Não tem como comparar uma prova de rua, a emoção do corredor neste tipo de provas, com uma corrida virtual. Mas acredito que são uma alternativa bastante válida, principalmente no momento em que estamos a viver.»

Veja aqui a entrevista completa: