Há algum tempo, Bruno Gonçalves revelou aos leitores do Corredores Anónimos os seus treinos para a Maratona do Porto. O objetivo era correr a prova em menos de 4h00, sendo o ideal a rondar as 3h45. Até sexta-feira acompanharemos a sua prova. Será que conseguiu?

E assim chega a Maratona do Porto, passados quatro meses desde o início da minha preparação, onde o meu corpo percorreu cerca de 615 km em 45 corridas, não só em Portugal, mas também no estrangeiro, concretamente em Toulouse.

Após ter escrito a minha primeira crónica, na semana em que fiz o meu treino mais longo, de 32 km, fiquei com uma lesão no pé. Como vi que estava a pouco tempo da Maratona, decidi ir até a uma clínica médica para resolver este problema o mais depressa possível. E assim foi: passadas três sessões, lá fiquei outra vez operacional. Prova disso é que fui correr a Meia-maratona de Toulouse, onde superei o meu recorde pessoal, agora de 1h35m29.

Comecemos pelo início da viagem dos 42,195 km

Sexta feira, por volta das 11h00, eu e o meu grupo de amigos fomos até à Alfândega do Porto levantar os nossos kits. A Runporto costuma elaborar uma grande feira desportiva para os seus atletas e este ano não foi diferente.

Após o levantamento do kit, fomos passear tranquilamente pela feira, parando em todas as estações e apeadeiros. E atenção que esta não foi a nossa primeira e última vez pela feira.

Como sabíamos que a Compressport organizaria uma corrida no sábado de manhã e que a Pasta Party seria no mesmo dia, lá voltamos nós para o recreio dos corredores, primeiramente para correr os 5 km da Compressport e, posteriormente, para irmos almoçar à Pasta Party. Após as nossas voltas e voltinhas pela feira, voltámos para casa a fim de nos prepararmos para a Maratona.

Na noite de sábado jantei pelas 19h00. Desta vez variei a ementa: em vez de pasta, foi… massa (eh, eh, eh). Fui dormir pelas 23h00. Creio que tive uma boa noite de sono, não me lembro de acordar ou ter um sono atribulado, ainda bem.

Domingo, dia de correr a Maratona…

Acordei às 6h00. Saltei logo da cama e fui fazer o pequeno-almoço de sempre para acordar o corpo todo: papas de aveia com banana e um café. Após verificar se tinha tudo em ordem (por inúmeras vezes…), lá saí de casa pelas 7h10 e fui em direção ao Queimódromo. Estacionei muito perto da zona de chegada e fiquei à espera dos meus amigos, que, entretanto, iam chegando.

O tempo desejado por Bruno Gonçalves
O tempo desejado por Bruno Gonçalves

Às 8h00 dirigimo-nos para a Rotunda da Anémona, como tinha ficado acordado no dia anterior. A faltar menos de meia hora, fomos para a partida, junto ao SeaLife.

O meu objetivo para esta Maratona era de a terminar em menos de 4h00 e conseguir corrê-la a rondar as 3h45. Para isso seria necessário correr a um ritmo de 5m20/km…

Na quinta-feira,vamos acompanhar como foi a Maratona do Porto de Bruno Gonçalves, se o nosso Corredor Anónimo alcançou os seus objetvos, após a frustração de 2015, quando correu a mesma prova em 4h10.