Veja a ascensão de Kilian Jornet ao Evereste através do seu relógio Suunto

O espanhol Kilian Jornet conseguiu a proeza de subir ao topo do Evereste (8848 metros) por duas vezes em seis dias. Sem oxigénio, sem corda e sem a ajuda de sherpas! Está agora disponível o vídeo do seu relógio Suunto, da primeira ascensão. Um vídeo histórico!!!

 

Na primeira ascensão, realizada entre 21 e 22 de maio, Jornet saiu do Mosteiro de Rombuk, a 5100 metros, seguindo a rota tradicional da vertente Norte. Normalmente, o “comum dos mortais” ascende ao topo a partir do campo base, localizado a 6500 metros…

Entre o Mosteiro de Rombuk e o campo base, Jornet demorou quatro horas para percorrer 30 km, um percurso que as expedições levam dois dias… Do campo base até o topo, depois de duas horas de descanso, mais 26 horas, com problemas estomacais a partir dos 7500 metros.

 

LEIA TAMBÉM
Kilian Jornet sobe o Evereste pela segunda vez em menos de uma semana

 

“Insatisfeito” com o seu feito, a 27 de maio, o espanhol demorou 17 horas para alcançar o ponto mais alto do Mundo, desta vez desde o campo base (17 horas). De referir que as ascensões mais rápidas da história do campo base são de Hans Kammerlander (16h45) e  Christian Stangl (16h42).

 

Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

O futebol sempre acompanhou a minha vida, assim como a natação e o voleibol. As tardes no Estádio do Maracanã, primeiro nas arquibancadas com o meu pai e depois com a “torcida” do Flamengo, são momentos que continuam a marcar as minhas recordações, principalmente a ver Zico a jogar. Em Portugal desde 1989, aos poucos o futebol e o voleibol perderam o seu espaço de prática, mas não de interesse (nesse aspeto o futebol é insubstituível, principalmente a seleção brasileira – como “doeu” os 1-7 da Alemanha… -, o Flamengo e o Barcelona). Se no Brasil a corrida era algo supérfluo, nos últimos anos acabou por ganhar a sua devida importância, primeiro como um hábito de saúde e bem-estar, depois como um desafio pessoal, concretamente terminar uma maratona, feito alcançado no Porto, em 2011. Com mais três no curriculum (duas em Lisboa e uma no Funchal), agora o objetivo é correr a primeira maratona internacional.

Gostou? Partilhe pelos amigos