BQ Aquaris X Pro: decididamente, não desaponta!

O desafio: testar o novo topo de gama da BQ, o Aquaris X Pro. A resposta: convidámos uma representante da chamada geração Z, nascida na era da Internet, para o fazer. Aqui fica a sentença de Matilde Cruz.

 

Como utilizadora fiel de iPhone, ter um smartphone com o sistema Android na mão é, desde o princípio, uma experiência diferente. Ainda que, e com toda a certeza, as expectativas tenham sido ultrapassadas.

O BQ Aquaris X Pro, uma evolução do Bq Aquaris X, que representa a gama mais alta da marca espanhola, apresenta linhas agradáveis à vista e design apelativo, com grandes semelhanças ao iPhone 6. Aliás, não tendo sido raras vezes em que, colocado em cima da mesa, foi confundido com um!

O tamanho do ecrã é bom, suficiente para ver filmes de forma satisfatória, além de caber bem na mão, mesmo nas mais pequenas, como a minha. Apenas encontrei dificuldades em alcançar, com o polegar, os extremos opostos do ecrã.

 

LEIA TAMBÉM

Análise ao Aquaris U Plus

 

A utilização de acrílico na parte traseira dá ao equipamento um aspeto elegante e mais caro, mas também mais escorregadio. A escolha deste material torna-o também propenso a riscos e marcas, o que se verifica ao final de algumas semanas sem capa.

Um aspeto interessante é o facto de a marca escolher o seu próprio logótipo para sensor de regresso ao ecrã inicial. Com o comando a responder ao toque com facilidade, assim como o leitor de impressões digitais na parte traseira (é possível pré-definir até 5 impressões digitais e raramente falha em desbloquear instantaneamente). Apesar disso, continuo a preferir o desbloqueio na parte frontal do dispositivo, já que o facto de pousar o telemóvel, impede-me de o desbloquear, sem ter de lhe pegar.

A construção do layout é intuitiva, apesar de não contar com praticamente nenhum software próprio da BQ. Já as definições são facilmente acessíveis através da barra na parte superior do ecrã.

No que toca à memória, os 4GB de memória RAM tornam a utilização fácil e rápida. As aplicações abrem e fecham sem esforço e a navegação é fluída. O armazenamento está disponível em 32GB, 64GB, ou 128GB, o que, de qualquer forma, dificilmente dará problemas, visto que todas as aplicações pertencem à Google. Isso faz com que todas as notas e fotografias, por exemplo, sejam guardadas na cloud, e não no próprio equipamento. Contudo, e caso haja problemas com o armazenamento, há sempre a possibilidade de aumentar a capacidade, através de um cartão micro SD.

Um telemóvel virado para a fotografia

Relativamente à câmara traseira, com um sensor de 12 megapixel, as fotografias são de extrema qualidade. As cores são bem capturadas e a imagem é definida e apelativa, embora os jogos de luz sejam por vezes complicados de gerir (apesar dos modos “manual”, “HDR” e “HDR+” darem ao utilizador a oportunidade de regular uma série de definições). Menos positivo o facto de a câmara demorar demasiado tempo a focar e o disparo mostrar-se por vezes lento. A câmara frontal também foi uma agradável surpresa, só tendo a apontar o facto de o flash ser extremamente incandescente.

Em termos de autonomia, o modo de carregamento rápido é eficaz e, quando ligado à tomada, demora cerca de uma hora e meia a estar a 100%. Já, por exemplo, utilizando a entrada USB de um automóvel, o equipamento precisa de cinco horas para ficar totalmente carregado, o que é, no mínimo, desagradável. A bateria chega e sobra para um dia, com uso intensivo, incluindo câmara, utilização de dados móveis e a luminosidade praticamente no máximo.

Há ainda um modo de poupança de bateria que efetivamente a torna mais duradoura, mesmo quando restam apenas 10% e faltam algumas horas até ter acesso a uma tomada. Sendo que, mesmo ao fim de algumas horas em utilização, o dispositivo não aquece muito.

Concluindo: com um preço a partir dos 339,90€, o BQ Aquaris X Pro é uma boa aposta da empresa espanhola, que cumpre assim o que prometeu: melhorar, face BQ Aquaris X. A mim não me desapontou, já que se aproxima, em muitos aspectos, de outros modelos com que compete, na gama média alta. Principalmente pelo seu design, que lhe permite passar, facilmente, por um dispositivo “premium”.

Características:
Processador: Processador Qualcomm Snapdragon 626
Memória RAM: 3GB/4GB
Armazenamento interno: 32GB/64GB/128GB (expansível via microSD)
Ecrã: 5.2 polegadas IPS LCD
Resolução: FHD 1920 x 1080p
Bateria: 3100 mAh / Com Quick Charge 3.0
Sistema operativo: Android 7.1.1 Nougat
Câmara traseira: 12MP f/1.8
Câmara frontal: 8MP f/2.0

Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

Gostou? Partilhe pelos amigos