João Pereira e Vasco Vilaça são campeões europeus de Triatlo

Os portugueses João Pereira e Vasco Vilaça alcançaram o lugar mais alto do pódio no Campeonato da Europa de Triatlo, evento realizado este sábado em Kitzbuhel, na Áustria. Os dois foram campeões europeus nos escalões Elite e Júnior, respetivamente.

 

Vasco Vilaça mostrou toda a sua força no segmento da corrida, já que foi nela que conseguiu finalmente assumir a liderança, precisamente nos metros finais (53m39), derrotando o espanhol Javier Perez (53m40) e o húngaro Csongor Lehmann (53m40). Até então, o português fez uma prova de recuperação absolutamente assombrosa, apesar de ser um dos favoritos ao triunfo final. Este foi o primeiro título europeu de juniores masculino para Portugal.

 

LEIA TAMBÉM
Portuguesa Maria Conceição conclui seis triatlos em seis continentes em 56 dias

 

Na Elite masculina, Portugal foi representado por João Pereira, João Silva, Miguel Arraiolos e Pedro Afonso Gaspar. No entanto, à saída da água, apenas os dois primeiros tinham possibilidade de lutar pelo triunfo, o que acabou por se repetir no atletismo. No final, e novamente com um sprint, Portugal somou novo triunfo, com João Pereira a registar 1h45m31, menos um e quatro segundos que o francês Raphael Montoya e o compatriota João Silva, respetivamente.

 

LEIA TAMBÉM
Miguel Carneiro vai nadar 11,4 km, pedalar 540 km
e correr 126,6 km mas o sonho é a Arch to Arch

Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

O futebol sempre acompanhou a minha vida, assim como a natação e o voleibol. As tardes no Estádio do Maracanã, primeiro nas arquibancadas com o meu pai e depois com a “torcida” do Flamengo, são momentos que continuam a marcar as minhas recordações, principalmente a ver Zico a jogar. Em Portugal desde 1989, aos poucos o futebol e o voleibol perderam o seu espaço de prática, mas não de interesse (nesse aspeto o futebol é insubstituível, principalmente a seleção brasileira – como “doeu” os 1-7 da Alemanha… -, o Flamengo e o Barcelona). Se no Brasil a corrida era algo supérfluo, nos últimos anos acabou por ganhar a sua devida importância, primeiro como um hábito de saúde e bem-estar, depois como um desafio pessoal, concretamente terminar uma maratona, feito alcançado no Porto, em 2011. Com mais três no curriculum (duas em Lisboa e uma no Funchal), agora o objetivo é correr a primeira maratona internacional.

Gostou? Partilhe pelos amigos