Jim Walmsley espera não se perder novamente na Western States 100

Como é habitual, no ultimo fim-de-semana de junho ocorre a Western States 100 (WS100), uma das provas mais emblemáticas do Trail nos Estados Unidos (para muitos especialistas, a principal prova de Trail do Mundo). Todos os olhos estão postos em Jim Walmsley, que, no ano passado, quando liderava a prova, acabou por se perder a 5 milhas da meta (cerca de oito quilómetros)…

 

Todos os anos, alguns dos principais nomes do Trail mundial ambicionam participar na WS100, que faz parte do calendário da Ultra Trail World Tour. No entanto, a verdade é que os lugares são escassos e portanto é necessário esperar pelo sorteio ou ser agraciado com um convite da organização, o denominado “Golden Ticket” (de referir que o Top 10 da prova tem garantida a sua presença no ano seguinte, se assim desejarem).

Este ano, e apesar da presença dos estrangeiros Andrea Huser, Thomas Lorblanchet, David Byrne e Tofol Castanyer, a verdade é que todos aguardam a performance de Jim Walmsley, que, no ano passado, mostrou uma superioridade impressionante, que não se traduziu em vitória devido a um erro de principiante, quando se perdeu a oito quilómetros da meta. Por isso, Walmsley é o “homem do momento” e poucos acreditam que não será o vencedor da WS100 deste ano. Ainda mais quando o seu objetivo é correr em menos de 14 horas, o que seria um novo registo da prova. Como adversários de luxo, Walmsley terá provavelmente Tim Freriks, recente vencedor da Transvulcania, Jeff Browing, segundo em 2016, e Ian Sharman, sem ignorar Chis Mocko e Jeff Ball.

A altimetria da prova

Já no feminino, nota para Kaci Lickteig, que vai defender o título conquistado no ano passado, uma corredora que se transcende na Western States 100. Stephanie Howe, recuperada da operação que foi alvo do tendão de Aquiles, Magdalena Boulet e Clare Gallagher, que recebeu o convite para estar presente na WS100, muito devido ao seu inesperado triunfo em Leadville, são outros nomes a ter em atenção.

Ou seja, a Western States 100 tem mais uma vez vários motivos de interesse na edição deste ano, motivos que fazem a sua História e que constroem o seu nome a nível mundial, tornando esta prova uma das mais emblemáticas do Trail mundial. Se não mesmo a principal…

A Western States 100 é uma típica corrida de Trail norte-americana
Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

O futebol sempre acompanhou a minha vida, assim como a natação e o voleibol. As tardes no Estádio do Maracanã, primeiro nas arquibancadas com o meu pai e depois com a “torcida” do Flamengo, são momentos que continuam a marcar as minhas recordações, principalmente a ver Zico a jogar. Em Portugal desde 1989, aos poucos o futebol e o voleibol perderam o seu espaço de prática, mas não de interesse (nesse aspeto o futebol é insubstituível, principalmente a seleção brasileira – como “doeu” os 1-7 da Alemanha… -, o Flamengo e o Barcelona). Se no Brasil a corrida era algo supérfluo, nos últimos anos acabou por ganhar a sua devida importância, primeiro como um hábito de saúde e bem-estar, depois como um desafio pessoal, concretamente terminar uma maratona, feito alcançado no Porto, em 2011. Com mais três no curriculum (duas em Lisboa e uma no Funchal), agora o objetivo é correr a primeira maratona internacional.

Gostou? Partilhe pelos amigos