Ahmet Arslan confirma favoritismo e vence os 400 metros mais difíceis do Mundo

Com mais de 11 vitórias em etapas da Red Bull400, o turco Ahmet Arslan não desiludiu e ganhou o primeiro Campeonato do Mundo Red Bull400, em Titisee-Neustadt, no coração da Floresta Negra, Alemanha. São os 400 metros mais difíceis do Mundo.

 

Profundo conhecedor da pista de esqui de Titisee-Neustadt, Arslan registou o tempo de 3m31s01, alcançando o primeiro título mundial deste evento criado pela Red Bull. No total, mais de 1000 atletas, oriundos de mais de 40 países, participaram desta singular corrida, de uma extrema dificuldade.

«Titisee-Neustadt é uma pista particularmente difícil. É inacreditável que esta corrida seja decidida numa final bastante competitiva», afirmou.

Apesar do forte favoritismo, a vitória de Arslan foi mais complicada do que muitos imaginavam, fruto da impressionante performance de Anton Palzer, que chegou atrás do turco com o tempo de 3m32s09.

«Não tinha ideia do que iria acontecer na primeira eliminatória. No final, tudo correu bem. Estou feliz com o segundo lugar, que eu não esperava alcançar. Talvez regresse no próximo ano. Red Bull 400 é um grande evento, com uma grande atmosfera.»

O primeiro Mundial dos 400 metros mais difíceis do Mundo foi um sucesso
O primeiro Campeonato do Mundo Red Bull400 confirmou as expetativas

A mulher mais rápida da prova foi a japonesa Yukari Tanaka, com 4m54s02.

«Depois da minha vitória no Japão, estava muito motivado. O sonho da vitória aconteceu hoje», referiu a nipónica à imprensa local.

Até músicos participaram da Red Bull400

A pista de Titisee-Neustadt tem um percurso de 140 metros de declive, chegando a 35º de inclinação, o que leva os atletas a limites extremos, entre eles o ultramaratonista Florian Neuschwander, que fez questão de participar na primeira edição do Campeonato do Mundo.

«Sinto-me bem na longa distância, mas esta prova e as diferenças de altura são um desafio emocionante. Foi duro alcançar na final. Estou mais do que satisfeito com o meu 15.º lugar. Vou preparar-me para a edição do próximo ano.»

Uma das curiosidades desta primeira edição da Red Bull400 foi acolher atletas de vários quadrantes, entre amadores e profissionais, como o músico Andreas Bourani, que encontra no desporto um contraponto para a sua vida profissional.

 

 

«O treino diário é um desafio e inspiração. Posso confirmar que a Red Bull400 ganhou a reputação como os mais difíceis 400 metros do mundo

Devido ao êxito do evento, a segunda edição da Red Bull400 está confirmada para o próximo ano, comprovando que os 400 metros mais duros do Mundo são hoje uma certeza.

Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

O futebol sempre acompanhou a minha vida, assim como a natação e o voleibol. As tardes no Estádio do Maracanã, primeiro nas arquibancadas com o meu pai e depois com a “torcida” do Flamengo, são momentos que continuam a marcar as minhas recordações, principalmente a ver Zico a jogar. Em Portugal desde 1989, aos poucos o futebol e o voleibol perderam o seu espaço de prática, mas não de interesse (nesse aspeto o futebol é insubstituível, principalmente a seleção brasileira – como “doeu” os 1-7 da Alemanha… -, o Flamengo e o Barcelona). Se no Brasil a corrida era algo supérfluo, nos últimos anos acabou por ganhar a sua devida importância, primeiro como um hábito de saúde e bem-estar, depois como um desafio pessoal, concretamente terminar uma maratona, feito alcançado no Porto, em 2011. Com mais três no curriculum (duas em Lisboa e uma no Funchal), agora o objetivo é correr a primeira maratona internacional.

Gostou? Partilhe pelos amigos