Sofía Gómez Uribe corre um Trail subaquático

Especialista em apneia e recordista mundial da modalidade, Sofía Gómez Uribe, conhecida como a “Sereia da Colômbia”, tem como hábito de treino a corrida, inclusive dentro de água, totalmente submersa e com uma pedra a servir de peso para ela não flutuar…

 

Para aguentar a respiração por vários minutos, Sofía Gómez Uribe realiza vários exercícios tendo em vista a menor utilização possível de oxigénio. Foi assim que a colombiana alcançou, por exemplo, em 2018, o recorde do Mundo da Confederação Mundial de Atividades Subaquáticas, quando, por meios próprios, alcançou os 84 metros de profundidade em 2m57.

LEIA TAMBÉM
Seis passos para aprender a respirar melhor

Engenheira civil e com uma escola de mergulho na península de Scott´s Head, em Dominica, a colombiana divulgou um vídeo que está a fazer furor nas redes sociais, principalmente devido a sua beleza e dificuldade. Nele podemos ver a Sereia da Colômbia a correr literalmente um Trail subaquático, numa ascensão que começou a 60 pés, ou seja, a cerca de 19 metros de profundidade. O vídeo, que já começa com Sofía Gómez Uribe submersa, tem a duração de 1m55.

De tirar o fôlego

Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

O futebol sempre acompanhou a minha vida, assim como a natação e o voleibol. As tardes no Estádio do Maracanã, primeiro nas arquibancadas com o meu pai e depois com a “torcida” do Flamengo, são momentos que continuam a marcar as minhas recordações, principalmente a ver Zico a jogar. Em Portugal desde 1989, aos poucos o futebol e o voleibol perderam o seu espaço de prática, mas não de interesse (nesse aspeto o futebol é insubstituível, principalmente a seleção brasileira – como “doeu” os 1-7 da Alemanha… -, o Flamengo e o Barcelona). Se no Brasil a corrida era algo supérfluo, nos últimos anos acabou por ganhar a sua devida importância, primeiro como um hábito de saúde e bem-estar, depois como um desafio pessoal, concretamente terminar uma maratona, feito alcançado no Porto, em 2011. Com mais três no curriculum (duas em Lisboa e uma no Funchal), agora o objetivo é correr a primeira maratona internacional.

Gostou? Partilhe pelos amigos