Conheça os critérios de seleção para o Mundial de Trail de 2018

A Associação de Trail Running de Portugal revelou  os critérios de integração para a seleção nacional de Trail tendo em vista a participação no Campeonato do Mundo da modalidade, agendada para Penyagolosa, em Espanha, no dia 13 de Maio do próximo ano.

 

No total, Portugal levará para Espanha 14 atletas, sete masculinos e sete femininos. Em cada categoria, serão selecionados os vencedores do Campeonato Nacional de Trail Ultra, do Campeonato Nacional de Trail Ultra Endurance, da Taça de Portugal de Trail Ultra, da Taça de Portugal de Trail Ultra Endurance e os três atletas que pontuaram no Mundial deste ano.

O comunicado na íntegra da Associação de Trail Running de Portugal para o Mundial de Trail, em Penyagolosa

«Com o objetivo de apuramento de 14 atletas (7 femininos e 7 masculinos) e numa perspetiva de continuidade os Critérios Gerais a ter em conta para os atletas serem elegíveis para a seleção de Portugalserão os seguintes:

  1. Resultados obtidos nos Campeonatos Nacionais de Trail Ultra e de Trail Ultra Endurance 2017:
  2. Vencedores do Campeonato Nacional de Trail Ultra (1 masculinos e 1 femininos);
  3. Vencedores do Campeonato Nacional de Trail Ultra Endurance (1 masculinos e 1 femininos).
  4. Resultados obtidos nas Taças de Portugal de Trail Ultra e de Trail Ultra Endurance 2017:
  5. Vencedores da Taça de Portugal de Trail Ultra (1 masculinos e 1 femininos);
  6. Vencedores da Taça de Portugal de Trail Ultra Endurance (1 masculinos e 1 femininos).

Notas:

  1. No caso de haver um mesmo vencedor dos 2 Campeonatos Nacionais acima referidos, o 2º classificado do Campeonato de Trail Ultra Endurance será também apurado.
  2. No caso de haver um mesmo vencedor das 2 Taças acima referidas, o 2º classificado da Taça de Trail Ultra Endurance será também apurado.
  3. No caso de haver um mesmo vencedor do Campeonato de Trail Ultra e da Taça de Trail Ultra, o 2º classificado no Campeonato de Trail Ultra será também apurado.
  4. No caso de haver um mesmo vencedor do Campeonato de Trail Ultra Endurance e da Taça de Trail Ultra Endurance, o 2º classificado no Campeonato de Trail Ultra Endurance será também apurado.
  5. No caso de haver um mesmo vencedor do Campeonato de Trail Ultra e da Taça de Trail Ultra Endurance, o 2º classificado da Taça de Trail Ultra Endurance será também apurado.
  6. No caso de haver um mesmo vencedor do Campeonato de Trail Ultra Endurance e da Taça de Trail Ultra, o 2º classificado do Campeonato de Trail Ultra Endurance será também apurado.
  7. Resultados obtidos nos Campeonatos do Mundo de Trail de 2017:
  8. Estão automaticamente apurados os 6 atletas que pontuaram para a classificação coletiva, isto é, os 3 melhores atletas masculinos e os 3 melhores atletas femininos, presentes nesta última edição dos Campeonatos dos Campeonatos do Mundo.

Nota:

Se os atletas acima referidos, já forem atletas selecionados via resultados obtidos nos Campeonatos Nacionais ou Taças de Portugal de Trail Ultra ou de Trail Ultra Endurance 2017, a elegibilidade transita para o atleta classificado imediatamente a seguir na prova que qualificou os 1ºs.

O objetivo será portanto de apuramento de 14 atletas (7 femininos e 7 masculinos), via os critérios acima referidos.

Tendo em conta que, no caso das delegações que inscrevem mais de 6 atletas nos Campeonatos do Mundo, ser necessário indicar no ato de registo no evento, quais os 6 que contarão para efeitos de classificação coletiva, essa será uma decisão a tomar exclusivamente pelo Selecionador Nacional, em articulação com o corpo técnico da ATRP.

  1. No caso de ocorrer qualquer outro tipo de situação não prevista nos pontos anteriores dos Critérios Gerais, após análise será apurado o atleta diretamente por escolha do Selecionador Nacional, em articulação com o corpo técnico da ATRP, tendo como objetivo assegurar a melhor representação possível no Campeonato do Mundo.

 

 

Critérios de integração na Seleção Nacional

Para além do cumprimento dos critérios de elegibilidade, referidas no ponto anterior, todos os atletas para integrarem em pleno a seleção Nacional, terão que aceitar os seguintes compromissos:

  1. Estágios

Será realizado 1 estágio  que decorrerá de 21 a 25 de Abril,  no local da prova, com vista à preparação da nossa participação nos Campeonatos do Mundo. Poderá eventualmente ser agendado um 2º estágio em data e local a definir em breve.

A ausência em algum destes estágios (a não ser por motivos de força maior formalmente justificada e reconhecida como tal pelo selecionador Nacional), resultará na exclusão da Seleção, dando o atleta excluído lugar a outro elegível para o efeito, ou escolhido diretamente pelo Selecionador Nacional em articulação com o corpo técnico da ATRP.

  1. Período de restrição competitiva

Para salvaguardar uma recuperação adequada das provas que integram o calendário competitivo de cada atleta, será estabelecido um período de restrição competitiva (independentemente da distância ou do tipo de prova), de 6 semanas. Uma vez que os Campeonatos do Mundo se realizam no dia 13 de Maio, significa que a data da eventual última participação competitiva será o dia 1 de Abril.

Tal como relativamente ao ponto anterior, o não cumprimento desta regra resultará na exclusão da Seleção, dando o atleta excluído lugar a outro elegível para o efeito, ou escolhido diretamente pelo Selecionador Nacional, em articulação com o corpo técnico da ATRP.

  1. Controle anti-doping

Cada atleta aceita fornecer amostras de sangue, urina ou cabelo, se para tal for solicitado pelo Conselho Médico da prova. Também se encontra obrigado a indicar ao médico da Seleção Nacional, se já está a usar, ou se vai solicitar a utilização de uma TUE (Therapeutic Use Exemption: substância proibida mas necessária para fins terapêuticos), antes do evento.

  1. Utilização do vestuário e equipamento oficial, e símbolos Nacionais

Os atletas selecionados não poderão usar símbolos que não os dos patrocinadores da Seleção Nacional, seja em estágio ou em trânsito para estes, comprometendo-se a fazer parte de eventuais sessões de ativação de marcas parceiras da ATRP ou FPA. A utilização de redes sociais aquando dos estágios da Seleção Nacional será apenas feita pelos meios de comunicação da ATRP, podendo os atletas partilhar apenas as publicações oficiais. 
Não serão permitidas ativações de marcas patrocinadoras dos atletas durante os estágios. 
Durante os estágios o uso do equipamento determinado pelo selecionador nacional é obrigatório.

 

LEIA TAMBÉM

Colombiano apanhado a fazer fraude no UTMB perde o certificado de Finisher

 

Independentemente dos critérios de elegibilidade e integração acima referidos, a decisão final da integração ou não na Seleção Nacional caberá sempre ao Selecionador Nacional em articulação com o corpo técnico da ATRP, tendo como objetivo último assegurar a melhor representação possível. Serão pois tidos em conta, nomeadamente e entre outros:

  1. Estado de forma dos atletas selecionados no ano de realização dos Campeonatos do Mundo.
  2. Existência de alguma lesão, que seja impeditiva da participação do atleta, ou limitadora da sua performance.
  3. Carga competitivo de cada atleta selecionado: O Selecionador Nacional analisará individualmente com cada atleta o seu calendário competitivo no período que anteceder os Campeonatos do Mundo, e indicará se achar necessário as modificações a fazer ao mesmo, de forma a assegurar que cada atleta se apresentará nas melhores condições possíveis.»
Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

Gostou? Partilhe pelos amigos