Mundo do Trail lamenta morte de Maria Antonieta Sá

Figura significativa do Trail nacional, sempre com um sorriso de apoio e incentivo a todos, a corrida perdeu esta quarta-feira uma figura marcante da modalidade, concretamente Maria Antonieta Sá. O site corredoresanonimos.pt deixa aqui sentidas condolências aos familiares e amigos mais próximos.

 

«”Deus leva os que ama. Só Deus tem os que mais ama.”

Faleceu Maria Antonieta Sá, atleta da equipa Caracol Trail Team, por todos acarinhada, presença assídua nos nossos trilhos, onde nos presentava sempre com o seu sorriso pronto e genuíno.

A ATRP neste momento de dor, surpresa e consternação, envia aos seus colegas de equipa, toda a família e amigos, e em especial ao seu marido Francisco Mira Gaio sentidas condolências.

“Foi sem mais nem menos. Que partiu sem destino nenhum.”

E deixa muita saudade», podemos ler na página da Associação de Trail Running Portugal, que não deixou de recordar e reconhecer a grandeza e a importância de uma das atletas mais acarinhadas da corrida nacional.

O carinho de Maria Antonieta Sá por todos fica espelhado na sua página do Facebook, inundada com declarações de pesar pela sua partida, uma pequena demonstração da sua importância para muitos atletas (e não só).

Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

O futebol sempre acompanhou a minha vida, assim como a natação e o voleibol. As tardes no Estádio do Maracanã, primeiro nas arquibancadas com o meu pai e depois com a “torcida” do Flamengo, são momentos que continuam a marcar as minhas recordações, principalmente a ver Zico a jogar. Em Portugal desde 1989, aos poucos o futebol e o voleibol perderam o seu espaço de prática, mas não de interesse (nesse aspeto o futebol é insubstituível, principalmente a seleção brasileira – como “doeu” os 1-7 da Alemanha… -, o Flamengo e o Barcelona). Se no Brasil a corrida era algo supérfluo, nos últimos anos acabou por ganhar a sua devida importância, primeiro como um hábito de saúde e bem-estar, depois como um desafio pessoal, concretamente terminar uma maratona, feito alcançado no Porto, em 2011. Com mais três no curriculum (duas em Lisboa e uma no Funchal), agora o objetivo é correr a primeira maratona internacional.

Gostou? Partilhe pelos amigos