Luís Rodrigues vence principal e inédita prova dos Azores Trail Run

O português Luís Rodrigues foi o primeiro vencedor da Grande Rota dos Baleeiros, nova prova inserida no Azores Trail Run, de 126 quilómetros, na ilha do Faial.

 

Luís Rodrigues registou 17h32m48, numa prova que começou às 19h00 horas locais (20h00 em Lisboa) de sexta-feira, na Horta. Atrás ficaram Sérgio Neves (18h28m18) e Bertrand Méchain (19h15m52).

Numa competição onde apenas participaram atletas convidados, a competição feminina não teve vencedora, já que nenhum concluiu a prova, marcada pelo mau tempo em determinados locais.

 

LEIA TAMBÉM
Humor do Anticiclone dos Açores escreve um KM Vertical para a História no Azores Trail Run

 

De referir que este ano o Azores Trail Run reuniu cerca de 700 atletas oriundos de 23 nacionalidades.

«As condições meteorológicas não foram as ideais, com chuva, vento forte e frio nas zonas mais elevadas, obrigando a alterar a meta do Vulcão dos Capelinhos para o Varadouro, mas a natureza é mesmo assim, imprevisível», afirmou o diretor da prova, Mário Leal.

Restantes vencedores:

Trail Ilha Azul (70 quilómetros)
Tòfol Castanyer, 6h24m31
Elizabeth Noakes, 9h50m45

Faial costa a costa (48 quilómetros)
Christiaan Greyling, 3h54m07
Landie Greyling, 4h21m56

Trail dos Vulcões (22 quilómetros)
Tsubasa Fuji, 2h01m22
Mariana Delgado, 2h43m54

Trail das Baías (25 quilómetros)
Fábio Correia, 2h25m27
Célia Vital, 3h33m24

Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

O futebol sempre acompanhou a minha vida, assim como a natação e o voleibol. As tardes no Estádio do Maracanã, primeiro nas arquibancadas com o meu pai e depois com a “torcida” do Flamengo, são momentos que continuam a marcar as minhas recordações, principalmente a ver Zico a jogar. Em Portugal desde 1989, aos poucos o futebol e o voleibol perderam o seu espaço de prática, mas não de interesse (nesse aspeto o futebol é insubstituível, principalmente a seleção brasileira – como “doeu” os 1-7 da Alemanha… -, o Flamengo e o Barcelona). Se no Brasil a corrida era algo supérfluo, nos últimos anos acabou por ganhar a sua devida importância, primeiro como um hábito de saúde e bem-estar, depois como um desafio pessoal, concretamente terminar uma maratona, feito alcançado no Porto, em 2011. Com mais três no curriculum (duas em Lisboa e uma no Funchal), agora o objetivo é correr a primeira maratona internacional.

Gostou? Partilhe pelos amigos