Disponível a aventura de Killian Jornet no Evereste

O filme de Kilian Jornet no Evereste, “Path to Everest”, já está disponível para download em castelhano, catalão, francês e inglês. Uma oportunidade de ouro para ver uma das aventuras do ano, uma excelente oportunidade para dizer adeus à 2018…

 

O cartaz de "Path to Everest", de Kilian Jornet
O cartaz de “Path to Everest”, de Kilian Jornet

Até ao momento, Path to Everest” já foi visto por cerca de 27 mil pessoas apenas em Espanha, o que coloca o documentário de Jornet no Top 40 de bilheteira do país vizinho, um feito que comprova a popularidade do corredor espanhol no seu país, mas também no Mundo, já que o filme está a ser requisitado em vários festivais e já foi visualizado em mais de 30 cidades.

O download de “Path to Everest” pode ser feito no seguinte link:

everest.summitsofmylife.com/esp.

«Sinto-me muito feliz por poder compartilhar o filme e o projeto Summits of My Life com todos os meus admiradores. Espero continuar, no futuro, continuar a compartilhar estes desafios», afirmou há dias Jornet .

LEIA TAMBÉM
Kilian Jornet sobe o Evereste pela segunda vez em menos de uma semana

Veja a ascensão de Kilian Jornet ao Evereste através do seu relógio Suunto

O preço de “Path to Everest” é de 9,99 euros e o filme aborda a preparação e como foi a subida de Jornet ao ponto mais alto da Terra. Este é o quarto filme de Kilian Jornet, após “A Fine Line”, “Déjame Vivir” e “Langtang”.

Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

O futebol sempre acompanhou a minha vida, assim como a natação e o voleibol. As tardes no Estádio do Maracanã, primeiro nas arquibancadas com o meu pai e depois com a “torcida” do Flamengo, são momentos que continuam a marcar as minhas recordações, principalmente a ver Zico a jogar. Em Portugal desde 1989, aos poucos o futebol e o voleibol perderam o seu espaço de prática, mas não de interesse (nesse aspeto o futebol é insubstituível, principalmente a seleção brasileira – como “doeu” os 1-7 da Alemanha… -, o Flamengo e o Barcelona). Se no Brasil a corrida era algo supérfluo, nos últimos anos acabou por ganhar a sua devida importância, primeiro como um hábito de saúde e bem-estar, depois como um desafio pessoal, concretamente terminar uma maratona, feito alcançado no Porto, em 2011. Com mais três no curriculum (duas em Lisboa e uma no Funchal), agora o objetivo é correr a primeira maratona internacional.

Gostou? Partilhe pelos amigos