Kilian Jornet vence HardRock 100 com o ombro… deslocado

Mesmo com o ombro deslocado, Kilian Jornet provou mais uma vez ser um dos nomes do Desporto mundial. Na exigente HardRock 100 (HardRock Hundred Mile Endurance Run, 162 km/D+ 10000m), nas montanhas do Colorado, nos Estados Unidos, o espanhol terminou em primeiro.

 

A HardRock 100 é uma das provas mais emblemáticas do Trail mundial, muito devido a sua enorme dificuldade. O trajeto tem como partida e meta Silverton, a 2850m de altitude. Entre o fim e o início, passagens por 13 locais a mais de 3500m de altitude, com 4281m no ponto mais alto da prova, em Handies Peak. Números que não impressionaram estes corredores:

 

A edição deste ano é para recordar, tanto para Kilian Jornet como para os demais competidores e admiradores da modalidade. O espanhol, devido a um deslocamento do ombro esquerdo, correu a segunda parte da exigente HardRock 100 com o braço ao peito (cerca de 70 milhas), mas o infortúnio não o impediu de lutar pela vitória.

 

Antes, o catalão, que em maio alcançou por duas vezes o topo do Evereste em menos de uma semana, liderava a prova com alguma margem de vantagem sobre os seus adversários, como demonstra o vídeo abaixo em Handies Peak.

 

 

O “problema” do espanhol foi ter deslocado o ombro esquerdo, sendo obrigado a utilizar apenas um bastão, um duro golpe para a exigência da Hardrock 100 e para as aspirações de Kilian Jorent na corrida.

 

 

Combalido, a lesão de Kilian Jornet na HardRock 100 fez com que os seus adversários conseguissem encurtar a distância. Mas, mesmo em dificuldades, Kilian Jornet jamais perdeu a competitividade que consegue manter na montanha, liderando a parte final da prova, com Joe Grant e Mike Foote na perseguição.

 

 

Em termos visuais, aqui fica a posição dos atletas entre as milhas 89 e 92.

 

Posição de Kilian Jornet na HardRock 100 na parte final
Posição dos três primeiros na HardRock 100

 

Jornet conseguiu superar a pressão de Joe Grant e acabou por alcançar um dos triunfos mais complicados da sua carreira, o quarto na HardRock 100, numa demonstração do que é a resiliência, como fica provado no vídeo abaixo, apenas a duas milhas do final, quando cruzou o rio Mineral Creek.

 

 

No final, Jornet afirmou que não era a primeira vez que corria com o ombro deslocado. O espanhol disse também que os granizos sentiram-se muito na perna, «enquanto os relâmpagos não estavam muito longe». O seu tempo final foi de 24h32m22.

 

 

O próximo desafio do espanhol, caso a lesão assim permita, marcará o seu regresso ao Ultra Trail Mont Blanc, a principal prova de Trail na Europa e uma das mais importantes do Mundo. Tudo acontecerá a 1 de setembro, em Chamonix. Recorde-se que a inscrição do espanhol causou uma enorme polémica no Mundo da Corrida.

 

LEIA TAMBÉM

Kilian Jornet é “empurrado” pelo público para a vitória na Maratona de Mont Blanc

 

Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

Gostou? Partilhe pelos amigos