Campeão do Mont Blanc François D’Haene destroça recorde da John Muir Trail

O francês François D’Haene, que este ano foi o vencedor do Ultra Trail Mont Blanc, é o novo recordista da John Muir Trail (360 km e 26000 metros de desnível acumulado), retirando ao anterior registo cerca de 12h10. Tudo começou no passado sábado…

 

Um ano para não esquecer. Depois de Mont Blanc, quando alcançou a terceira vitória derrotando nada menos que Kilian Jornet (leia aqui), o gaulês consegue superar um dos registos mais importantes do Ultra Trail. No total, D’Haene correu os 340 km em 2 dias, 19 horas e 26 minutos, ultrapassando assim a anterior marca, de 3 dias, 07 horas e 36 minutos, que estava na posse de Leor Pantilat desde 2014. Ou seja, o francês conseguiu algo que poucos acreditavam, correr a John Muir Trail em menos de três horas.

A John Muir Trail (clique aqui para ver o site da rota) é considerada a grande rota americana do Trail, uma rota mítica para os norte-americanos entre o Parque Nacional de Yosemite e a Mount Whitney, a montanha mais alta dos Estados Unidos continental, com os seus impressionantes 4421 metros.

 

François D'Haene escreve o seu nome na John Muir Trail
François D’Haene escreve o seu nome na John Muir Trail

 

A grande aventura de fazer esta rota, de uma beleza singular e que atravessa três parques nacionais, é a sua passagem por zonas pouco povoadas, o que obriga a uma planificação exemplar em termos de abastecimento (de referir que François D’Haene contou sempre com uma equipa de apoio).

François D’Haene queria algo de diferente para terminar o ano

«Depois de todas as corridas este ano, queria sentir a liberdade e descobrir algo diferente. Uma oportunidade de viver una aventura com os meus amigos. Também sinto a necessidade de buscar novas sensações, de encontrar outros limites», afirmou o gaulês antes da sua aventura, que teve início no último sábado.

Refira-se que François D’Haene confessou à Runner´s World há alguns anos que poderia viver do Trail, mas que preferia viver das suas vinhas…

Veja o fim da aventura do francês, certamente o nome do Trail em 2017:

 

HERE WE ARE!! Fin de parcours sur le john Muir Trail et ses quelques 350km!! Les jambes sont lourdes, mais quel plaisir de rallier l'arrivée à 5h du matin et en direct avec François !!Nouveau record : 2j 19h 26mn#johnmuirtrailadventure2017#timetoplay#runovermountains#salomonrunning

Publicado por François D'haene em Terça-feira, 17 de Outubro de 2017

Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

O futebol sempre acompanhou a minha vida, assim como a natação e o voleibol. As tardes no Estádio do Maracanã, primeiro nas arquibancadas com o meu pai e depois com a “torcida” do Flamengo, são momentos que continuam a marcar as minhas recordações, principalmente a ver Zico a jogar. Em Portugal desde 1989, aos poucos o futebol e o voleibol perderam o seu espaço de prática, mas não de interesse (nesse aspeto o futebol é insubstituível, principalmente a seleção brasileira – como “doeu” os 1-7 da Alemanha… -, o Flamengo e o Barcelona). Se no Brasil a corrida era algo supérfluo, nos últimos anos acabou por ganhar a sua devida importância, primeiro como um hábito de saúde e bem-estar, depois como um desafio pessoal, concretamente terminar uma maratona, feito alcançado no Porto, em 2011. Com mais três no curriculum (duas em Lisboa e uma no Funchal), agora o objetivo é correr a primeira maratona internacional.

Gostou? Partilhe pelos amigos