Ester Alves alcança o segundo lugar na The Coastall Challenge

Em três participações, três pódios. Definitivamente, a The Coastall Challenge, na Costa Rica, é uma prova especial para Ester Alves, que, este sábado, alcançou o segundo lugar da prova reaizada na América Central.

 

Num duelo a três, Ester Alves apenas foi superada pela holandesa Ragna Debats, que estabeleceu, nas seis etapas da corrida, seis recordes, numa demonstração enorme da atleta “laranja” (Debats confirmou a sua presença na Ultra Skymarathon Madeira 2018). Já Ester Alves conseguiu superar a norte-americana Suzanna Guadarrama, que, apesar de ter sido superior a atleta nacional na quarta e quinta etapas, não foi capaz de roubar o segundo lugar da portuguesa, que representa a Salomon Suunto Portugal. 

De referir que Ester Alves garantiu o segundo lugar da prova este sábado, quando foi realizada a última etapa, terminando os 236 km da The Coastall Challenge com o tempo de 29h59.

«Foi muito difícil estar a lutar mais um ano pelo pódio. O primeiro lugar foi conseguido pela Ragna Debats, que é campeã europeia de Skyrunning e terceira no Campeonato do Mundo de Trail. Foi um enorme sufoco e prazer chegar à meta com ela na última etapa e conseguir o segundo lugar da classificação geral entre ela e a norte-americana Suzanna, especialista em provas de longa distância. Este ano foi o ano com maior participação feminina e a competição masculina foi de topo mundial», afirmou Ester Alves, que, após o primeiro lugar em 2016 e o terceiro em 2017, terminou no único lugar do pódio que ainda não tinha estado.

Duelo entre Tom Evans e Hayden Hawks 

Na prova masculina, com todas as etapas concluídas em sprint entre Tom Evans e Hayden Hawks, a vitória foi para o primeiro, num duelo que causou sensação na selva tropical. Em terceiro lugar ficou Michael Wardian. Apesar de não ter alcançado nenhum terceiro lugar nas etapas, a lesão de Timothy Olson na 4.ª etapa e a desistência de Jorge Paniagua e Marcus Scotney, que se perderam, valeram-lhe umas subidas na classificação.

José Cabral e André Castro, únicos portugueses em prova, terminaram em 8.º e 13.º lugares, respetivamente.

CLASSIFICAÇÕES

Etapa

Masculino 
1. Tom Evans 1:59:54
2. Hayden Hawks 1:59:55
3. Erick Aguero 2:00:26
4. Neruda Cespedes 2:09:09
5. Michael Wardian 2:10:48

Feminino
1. Ragna Debats 2:27:57
2. Ester Alves 2:27:58
3. Suzanna Guadarrama 2:34:38
4. Shannon Colley 3:08:39
5. Kerri Treheme 3:09:35

Geral

Masculino
1. Tom Evans 21:44:11 (CR)
2. Hayden Hawks 21:48:36
3. Michael Wardian 25:17:42
4. Erick Aguero 25:36:15
5. Neruda Cespedes 25:39:00
(…)
9. José Cabral
(…)

13. André Castro

Feminino
1. Ragna Debats 26:14:39 (CR)
2. Ester Alves 29:59:42
3. Suzanna Guadarrama 30:41:30
4. Mirta Reaple 35:08:36
5. Josephine Adams 36:07:38

Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

O futebol sempre acompanhou a minha vida, assim como a natação e o voleibol. As tardes no Estádio do Maracanã, primeiro nas arquibancadas com o meu pai e depois com a “torcida” do Flamengo, são momentos que continuam a marcar as minhas recordações, principalmente a ver Zico a jogar. Em Portugal desde 1989, aos poucos o futebol e o voleibol perderam o seu espaço de prática, mas não de interesse (nesse aspeto o futebol é insubstituível, principalmente a seleção brasileira – como “doeu” os 1-7 da Alemanha… -, o Flamengo e o Barcelona). Se no Brasil a corrida era algo supérfluo, nos últimos anos acabou por ganhar a sua devida importância, primeiro como um hábito de saúde e bem-estar, depois como um desafio pessoal, concretamente terminar uma maratona, feito alcançado no Porto, em 2011. Com mais três no curriculum (duas em Lisboa e uma no Funchal), agora o objetivo é correr a primeira maratona internacional.

Gostou? Partilhe pelos amigos