Dez conselhos imprescindíveis para provas de Ultra Trail

As provas de duas centenas de quilómetros fazem parte do dicionário de José Manuel Mota, que, em Novembro, pretende fazer a Algarviana Ultra Trail, «evento desportivo na modalidade de trail running em que os atletas deverão percorrer os 300Km que atravessam Portugal de uma ponta à outra, de oriente a ocidente, sempre por trilhos e montanhas do seu interior». Especialista em Ultras, o Finisher da Trans360º deixa aqui dez conselhos, cinco para a preparação e mais cinco para a prova em si.

 

 

CONSELHOS DE PREPARAÇÃO

1) Planificar bem a preparação, com condições idênticas às que devemos encontrar na prova
2) Fazer provas com um grande desnível acumulado como treino
3) Adaptar-se à navegação com GPS, durante os treinos e as provas “modelo”
4) Treinar com a mochila que vamos levar e aumentar gradualmente o peso
5) Planificar alguma nutrição suplementar

 

LEIA TAMBÉM
O sono é um dos principais obstáculos em provas de duas centenas de km

 

CONSELHOS DURANTE A PROVA

1) Gerir bem o esforço, mantendo sempre o nosso ritmo
2) Ter em conta a alimentação, já que há muitos quilómetros sem um reabastecimento mínimo. Comer uma barra, um gel, etc. a cada duas horas
3) Descansar! Não dormir muitas horas, mas o suficiente para o corpo recuperar
4) Cuidar muito bem dos pés. Quando mudar as meias, lavar e hidratar, nem que seja com a tradicional vaselina
5) Manter a imprescindível concentração e, se necessário, parar para descansar

Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

O futebol sempre acompanhou a minha vida, assim como a natação e o voleibol. As tardes no Estádio do Maracanã, primeiro nas arquibancadas com o meu pai e depois com a “torcida” do Flamengo, são momentos que continuam a marcar as minhas recordações, principalmente a ver Zico a jogar. Em Portugal desde 1989, aos poucos o futebol e o voleibol perderam o seu espaço de prática, mas não de interesse (nesse aspeto o futebol é insubstituível, principalmente a seleção brasileira – como “doeu” os 1-7 da Alemanha… -, o Flamengo e o Barcelona). Se no Brasil a corrida era algo supérfluo, nos últimos anos acabou por ganhar a sua devida importância, primeiro como um hábito de saúde e bem-estar, depois como um desafio pessoal, concretamente terminar uma maratona, feito alcançado no Porto, em 2011. Com mais três no curriculum (duas em Lisboa e uma no Funchal), agora o objetivo é correr a primeira maratona internacional.

Gostou? Partilhe pelos amigos