André Rodrigues sentiu-se «vivo» nos Trilhos dos Abutres

Vencedor dos Trilhos dos Abutres em 2017, André Rodrigues repetiu o feito este ano, numa corrida épica devido ao duelo com o russo Dmitry Mityaev, vice-campeão da Taça do Mundo de SkyRunning.

 

«Nada que valha a pena vem de maneira fácil. Uma dura batalha com o vice-campeão da Taça do Mundo de Sky-Ultra sempre separados por segundos até aos 40K. É isto que me faz sentir vivo, ganhar ou perder, mas aprender com os melhores», escreveu André Rodrigues na sua página do Facebook, reconhecendo que o triunfo deste ano foi bastante duro, não só pelo percurso dos Trilhos dos Abutres, mas também pelo duelo que manteve com o vice-campeão da Taça do Mundo de SkyRunning, que apenas cedeu nos 10 quilómetros finais, numa corrida que empolgou o público presente.

LEIA TAMBÉM
André Rodrigues vence o Trilhos dos Abutres

Público que mereceu inclusive um elogio do português:

«Mas o melhor desta prova? O público! Impressionante moldura humana, que me motivou a dar ainda mais de mim. Fantástico!»

Trilhos dos AbutresSr. Piedade28 km > 50 km13 km > 32 km

Publicado por Oralklass – Amigos do Trail em Sábado, 27 de Janeiro de 2018

 

André Rodrigues admitiu na sua página do Facebook que viveu um dia de sonho no passado sábado, pois, além da vitória, a sua equipa, a Prozis XTRAIL Team/Berg Outdoor, venceu por equipas, «a cereja no topo do bolo», escreveu André Rodrigues.

«Obrigado a todos que me permitem continuar a sonhar e a acreditar que valem a pena todos os sacrifícios diários.»

 André Rodrigues recebe elogios do estrangeiro

O triunfo de André Rodrigues teve alguma repercussão no estrangeiro. Um que fez questão de salientar o feito do português foi o espanhol Juanjo Larrotcha, que venceu em outubro último, por exemplo, a exigente La Annapuma 100, nos Himalaias.

«Um dos grandes corredores da Prozis Xtrail Team. Para os que ainda não o conheçam em Espanha, guardem este nome porque este magnífico corredor (campeão de Portugal de Trail Ultra) vai dar muito que falar nos próximos tempos. Grande André Rodrigues», escreveu Juanjo Larrotcha.

Recorde-se que André Rodrigues, com o tempo de 4h44m36, retirou cerca de 16 minutos ao seu tempo do ano passado, apresentando um ritmo médio de 5m41 por quilómetro, algo impressionante tendo em vista o desnível positivo acumulado de… 2480 metros.

 

Gostaste do artigo? Faz Gosto ou Partilha com os teus amigos!
Pedro Alves

Pedro Alves

O futebol sempre acompanhou a minha vida, assim como a natação e o voleibol. As tardes no Estádio do Maracanã, primeiro nas arquibancadas com o meu pai e depois com a “torcida” do Flamengo, são momentos que continuam a marcar as minhas recordações, principalmente a ver Zico a jogar. Em Portugal desde 1989, aos poucos o futebol e o voleibol perderam o seu espaço de prática, mas não de interesse (nesse aspeto o futebol é insubstituível, principalmente a seleção brasileira – como “doeu” os 1-7 da Alemanha… -, o Flamengo e o Barcelona). Se no Brasil a corrida era algo supérfluo, nos últimos anos acabou por ganhar a sua devida importância, primeiro como um hábito de saúde e bem-estar, depois como um desafio pessoal, concretamente terminar uma maratona, feito alcançado no Porto, em 2011. Com mais três no curriculum (duas em Lisboa e uma no Funchal), agora o objetivo é correr a primeira maratona internacional.

Gostou? Partilhe pelos amigos